Saúde de SC autoriza cidades a usarem estoque de Coronavac para vacinação de crianças

Diferente da Pfizer, a vacina Coronavac não terá um versão pediátrica com fórmula reduzida. O imunizante será o mesmo dos adultos e com o mesmo intervalo: 28 dias entre cada dose.
Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom-SC

 1,928 visualizações

Dias depois de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter aprovado o uso da vacina Coronavac em crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 17 anos, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) de Santa Catarina autorizou as cidades a iniciarem a vacinação desse público, desde que não haja imunossuprimidos. Para isso, os municípios poderão usar as doses que estiverem disponíveis em sua rede de frio.

No caso das crianças e adolescentes que se enquadrem a condição de baixa imunidade, a vacina indicada continua sendo a Pfizer. A decisão da SES, em conjunto com o Conselho Estadual de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) e Vigilância Epidemiológica (Dive), acompanha o fato de o Ministério da Saúde ter incluído o imunizante do laboratório Sinovac e Instituto Butantan no Programa Nacional de Imunização (PNI).

Diferente da Pfizer, a vacina Coronavac não terá um versão pediátrica com fórmula reduzida. O imunizante será o mesmo dos adultos e com o mesmo intervalo: 28 dias entre cada dose. Segundo a Dive, há cerca de 130 mil doses da vacina armazenadas nas cidades e pouco mais de 5 mil guardadas na central estadual para uso nesse novo público.

A imunização dos 6 aos 17 anos pode acontecer desde que não atrapalhe a aplicação das segundas doses nos adultos. A SES recomenda que a ação de imunização seja em ambiente seguro e acolhedor, sendo evitadas ações de vacinação em drive-thru, para que elas se sintam mais confortáveis. Antes da aplicação da dose, os profissionais de saúde devem apresentar aos pais e/ou responsáveis pela criança o frasco da vacina, bem como a seringa com o volume a ser aplicado (0,5 mL), para que não haja dúvidas de que a vacina aplicada é a Coronavac.

Em crianças, por precaução, a vacina contra a Covid-19 não deve ser aplicada ao mesmo tempo que outras vacinas de rotina do calendário infantil, sendo necessário aguardar um intervalo de 15 dias entre a dose desta e das demais vacinas. Para que as crianças sejam vacinadas, elas devem ser acompanhadas dos pais e/ou responsáveis ou, em caso de ausência, a vacinação pode ser realizada mediante apresentação de um termo de consentimento por escrito.

Notícias relacionadas