Lagunense mostra lagunense em exposição que destaca DNA catarinense

Imagem foi selecionada na categoria "Nossa gente" e houve uma outra do edifício Layla Chede (antigo Hotel Rio Branco), também de Amboni, usada para destacar o patrimônio histórico da região.
Foto: Ronaldo Amboni

Em meio a tantos ‘Olhares Catarinenses’, há um lagunense, visto e fotografado por um outro lagunense. O concurso fotográfico lançado há pouco mais de um mês pela Federação de Consórcios, Associações e Municípios de Santa Catarina (Fecam) objetivou valorizar e ser uma vitrine da cultura de Santa Catarina e uma das imagens selecionadas é a simplicidade de Antônio Paulo dos Reis, que é mais conhecido pelo apelido de Pepinha. A exposição ficará até janeiro, montada na Assembleia Legislativa (Alesc) e deve ser levada, depois, para a sede da Fecam.

O responsável pelo clique foi Ronaldo Amboni. “Foi muito emocionante [a hora que soube] e fiquei feliz pois o Pepinha ia representar a nossa cidade”, comenta o fotógrafo. A imagem (veja no topo) foi selecionada na categoria “Nossa gente” e houve uma outra do edifício Layla Chede (antigo Hotel Rio Branco) usada para destacar o patrimônio histórico da região.

Pepinha é uma das figuras populares de Laguna, sempre sendo visto caminhando pelas ruas da cidade. Aos 77 anos, segue folião e alegre, e continua com suas caretas, que se tornaram marca registrada. No Carnaval, era Brinca Quem Pode e hoje torce para a Vila Isabel. Foi futebolista e atuou na equipe do Barriga Verde e, devido ao seu desempenho, foi chamado para atuar no antigo Metropol, de Criciúma. Não quis ficar e voltou para a terra natal.

Segundo Amboni, no dia em que ocorreu a abertura da exposição, início de dezembro, Pepinha “foi o centro das atenções”. Isso porque ele foi fotografado e pôde estar presente no evento, sendo, inclusive parabenizado pelo prefeito Clenilton Pereira (PSDB), de Araquari, que preside a Fecam. Reis está temporariamente em Florianópolis na casa de uma familiar, onde se recupera de uma cirurgia ocorrida meses atrás. Além da exposição, um livro será feito com todas as imagens dos variados olhares catarinenses.

Outros cliques

A exposição contaria, também, com uma foto área feita a partir da Igreja Matriz Santo Antônio dos Anjos, no Centro da cidade. O clique foi produzido por Bismarck Medeiros. Segundo a Fecam, conforme relato do autor da imagem, a fotografia não entrou na exposição por dificuldades de contato. A vista área capturada por ele através de um drone é semelhante a seguinte:

Notícias relacionadas