SC analisa não pedir prescrição médica para vacinar crianças contra coronavírus

Vacina aprovada para esse público menor é fabricada pela Pfizer e possui estudo clínico concluído e aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o seu uso.
Vacina para crianças é um terço da fórmula original e tem tampa amarela. Foto: Paul Hennessy/SOPA Imagens/Sipa USA/ABr

Com a possibilidade de as vacinas contra coronavírus específicas para crianças chegarem ao Brasil ainda no começo do primeiro semestre do próximo ano, Santa Catarina informou que a aplicação do imunizante no público alvo de 5 a 11 deverá ser sem necessidade de prescrição médica. O entendimento vai de encontro ao recomendado pelo Ministério da Saúde (MS), que, na última sexta-feira, 24, incluiu a receita como condicionante para a criança ser vacinada.

Atualmente, no estado, 94% da população com mais de 12 anos está vacinada com a 1ª dose e 83% desse público já com as duas doses. “Entendemos que é urgente a imunização das crianças contra a Covid-19. Também acompanhamos o posicionamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) de que não se faz necessária a exigência de prescrição médica”, reforça o secretário de Estado da Saúde, André Motta.

De acordo com o governo, a decisão ainda passará por uma análise da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), composta por representantes da gestão do estado e dos municípios para que haja uma avaliação técnica e baseada na ciência. A vacina aprovada para esse público menor é fabricada pela Pfizer e possui estudo clínico concluído e aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o seu uso.