Motorista se entrega à polícia e defesa diz que ele não realizou ultrapassagem

Carro envolvido no acidente também foi entregue para a perícia ser realizada.

Durante a tarde desta sexta-feira, 10, o motorista da Hyundai Tucson, que atropelou e matou o ex-jogador João Batista Lemos, 54, se entregou à polícia. Ele se apresentou na sede do complexo de delegacias de Laguna e prestou depoimento. J.Z., 28 anos, não ficará preso em virtude da ausência de flagrante, mas irá ser encaminhado ao hospital para ser internado, devido ao seu estado de saúde. Agora Laguna esteve na delegacia.

Sua apresentação à delegacia – localizada a poucos metros de onde ocorreu o fato – foi em companhia do advogado Mauro Felippe, que o representa no caso. O carro envolvido no acidente também foi entregue para a perícia ser realizada. O veículo sofreu apenas uma alteração: o para-brisa foi trocado para que pudesse trafegar na BR-101 sem risco de ser penalizado – o vidro danificado foi preservado e será analisado pelo Instituto Geral de Perícias (IGP). O carro apresenta, ainda, danos no lado direito da parte frontal.

Segundo o advogado, ele deveria ter se entregado ainda na quinta-feira, 9, quando aconteceu o fato. Mas diante da dificuldade de contato com uma delegacia de plantão, a apresentação ficou para esta sexta, às 16h. À reportagem, o defensor mostrou as tentativas sucessivas de ligação feita às unidades da Polícia Civil. As entrevistas estão compiladas no vídeo.

Assim que foi liberado pela delegacia, J.Z. não quis dar nenhuma declaração. “Tudo vai ser esclarecido, inclusive com apoio à família”, afirma o advogado. A perícia também esteve no local do crime e fez registros fotográficos. “Nós queremos mostrar à família que foi um acidente”, frisa Felippe, que diz ter interesse em conversar com os parentes do ex-jogador.

O advogado desmente a tese de que houve ultrapassagem. A versão do motorista é que ele veio até Laguna atrás de um comprador para a Tucson – o pai dele é proprietário de uma revenda de veículos em Pedras Grandes, cidade que também pertence à Amurel. Diante do fato de não ter encontrado o interessado no veículo, J.Z. iria estacionar no acostamento para fazer uma ligação e não viu os ciclistas – além de Lemos, havia mais uma outra pessoa, que sofreu queda, felizmente, sem gravidades. Ele cogitou parar para prestar socorro, mas por temer uma reação hostil de pessoas que foram socorrer os dois atingidos, optou por seguir viagem.

O depoimento vai embasar o inquérito policial aberto pela Polícia Civil de Laguna. O delegado William Testoni, titular da investigação, disse ao Portal que as apurações vão encerrar no prazo legal. Mais pessoas serão ouvidas ao longo dos próximos dias. A polícia também tenta localizar o condutor do carro que aparece sendo ultrapassado pela Tucson.

Questionado pela reportagem sobre a existência de imagens que corroboram o depoimento do motorista, Testoni afirmou que essa análise será feita pelos peritos e que as gravações já obtidas antes da apresentação não são favoráveis à versão. “Vamos tentar localizar outras testemunhas que tenham visto o acidente em si, ver as perícias cabíveis e tentar concluir no prazo legal”, afirma o delegado. Nesse momento não se fala em prisão preventiva, mas que essa possibilidade não está descartada se houver necessidade no decorrer das investigações. O inquérito deve ser finalizado em 30 dias e será encaminhado ao Ministério Público.

Jogador foi sepultado pela manhã

Tita, como era mais conhecido foi velado, e sepultado nesta manhã em Laguna. No dia do acidente, ele seguia para o trabalho de vigilante. Sua morte causou muita consternação. Ex-jogador de futebol, Lemos teve passagens por times como LEC, Imbituba, Ferroviário e Marcílio Dias. No amador, fez parte de equipes como Gaiolão, Benfica, Santos Imbituba e Galo Velho.

Apelo

O delegado reforça que os canais de denúncia da corporação estão ativos para receber colaboração de testemunhas que tenham visto o acidente. Os telefones são 181 e (48) 9 9975-5851.

Foto: Elvis Palma/Agora Laguna