Instabilidades em sistema fazem Estado adiar novo mapa de risco

Na última divulgação, há uma semana, o mapa estava completamente em azul. Isso quer dizer que todas as 17 regiões estão em nível moderado, o mais baixo na escala de cores da matriz de risco. Desde o dia 11, o panorama está nesse patamar.
Divulgação/SES
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,244 visualizações,  24 views today

O mapa de risco que avalia o estágio de proliferação do novo coronavírus nas 17 regiões de saúde de Santa Catarina não será atualizado neste sábado, 25. A decisão é da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e considera o fato de que há instabilidades nos sistemas técnicos do Ministério da Saúde (MS), desde o dia 10 de dezembro quando ocorreu um ataque hacker.

Em nota, a SES disse que usa vários dados da base de informações do MS para elaborar a matriz. Exemplos de dados são os casos notificados de coronavírus no sistema e-SUS Notifica, casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave hospitalizados, óbitos por Covid-19 no sistema Sivep-Gripe e doses aplicadas registradas no painel do Programa Nacional de Imunização.

O ataque hacker ocorreu em 10 de dezembro e na quinta-feira, 23, o governo federal informou que os sistemas tinham sido restabelecidos e já possibilitava registro de novas informações. “Mas o acesso ao banco de dados federal, necessário para monitoramento e atualização dos indicadores da matriz de risco, ainda não foram disponibilizados até o momento. A SES reforça que segue realizando ininterruptamente o monitoramento do cenário do Estado, e caso seja observada alguma modificação no quadro, emitirá alertas”, disse o texto da secretaria.

Na última divulgação, há uma semana, o mapa estava completamente em azul. Isso quer dizer que todas as 17 regiões estão em nível moderado, o mais baixo na escala de cores da matriz de risco. Desde o dia 11, o panorama está nesse patamar.

Leia a nota na íntegra

A Secretaria de Estado da Saúde esclarece que excepcionalmente, neste sábado, 25, não será gerada a Matriz de Risco Potencial de Santa Catarina.
Isto ocorre devido à instabilidade observada nos sistemas do Ministério da Saúde desde o dia 10 dezembro quando ocorreu o ataque hacker.

A Matriz do Estado utiliza-se de diversos parâmetros da base de dados do MS para a compilação do cenário, que incluem casos notificados de covid-19 registrados no sistema e-SUS Notifica, Casos de SRAG Hospitalizados e óbitos por Covid-19 registrados no SIVEP-Gripe e doses de vacinas aplicadas registrados no SIPNI. Estes sistemas foram reestabelecidos na última quinta, 23, possibilitando que os municípios voltassem a registrar os casos, mas o acesso ao banco de dados federal, necessário para monitoramento e atualização dos indicadores da matriz de risco, ainda não foram disponibilizados até o momento.

A SES reforça que segue realizando ininterruptamente o monitoramento do cenário do Estado, e caso seja observada alguma modificação no quadro, emitirá alertas.

Destaque-se que a partir do restabelecimento dos sistemas por parte do MS, a Matriz voltará a ser gerada, assim como é realizado desde o dia 29 de julho de 2020, quando foi implementada.