À espera de ativação, radares da BR só devem funcionar no próximo ano

Processo de instalação está na fase da transição de dados no sistema que vai operar os radares, e que ainda não foi finalizado. Ao todo, são 42 radares ao longo da rodovia federal, sob gestão privada desde agosto de 2020.
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Os novos radares da BR-101 Sul deveriam entrar em funcionamento até o dia 31 de dezembro deste ano, mas isso deverá ficar para 2022. A CCR ViaCosteira já implantou os equipamentos, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) já aprovou, mas falta o aval da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) para que a concessionária os ative.

O processo de instalação está na fase da transição de dados no sistema que vai operar os radares, e que ainda não foi finalizado. Ao todo, são 42 radares ao longo da rodovia federal, sob gestão privada desde agosto de 2020.

“A CCR implantou 42 equipamentos reguladores de velocidade ao longo do trecho administrado, de 220 quilômetros, na região Sul. Os equipamentos estão em condição de operação, com processo de aferição regularizado. Naturalmente, o órgão que realiza a fiscalização possui seu processo burocrático também para regularizar para que possa iniciar esse processo, que é tão importante. Ainda não há uma previsão estipulada, mas a concessionária a partir do momento que receber a data dará ampla divulgação”, diz o gerente de Atendimento da empresa, Diogo Stiblet.

Em nota, a ANTT diz que a operação inicia após aprovação de testes de imagens por parte da PRF e que a agência atua, apenas, na intermediação entre a corporação de segurança e a concessionária. “Quem define a data em que os radares entram em operação é o órgão de trânsito com jurisdição sobre a via, no caso, o DPRF”, explica o texto da assessoria.

Notícias relacionadas