3 ações que acabam com o objetivo de poupar para o futuro

Afinal, é muito fácil se perder e acabar gastando o dinheiro que seria revertido para uma meta em outra coisa que, ainda que lhe dê o prazer momentâneo e temporário, irá adiar o que deseja conquistar.
Ilustrativa

Se o seu objetivo é poupar para conquistar um objetivo futuro, então é preciso estar ciente tanto sobre quais ações tomar quanto quais não tomar para conseguir realizar seus desejos.

Afinal, é muito fácil se perder e acabar gastando o dinheiro que seria revertido para uma meta em outra coisa que, ainda que lhe dê o prazer momentâneo e temporário, irá adiar o que deseja conquistar.

Por conta disso, no artigo de hoje, apresentaremos para você, nosso caro leitor, quais são as ações que acabam com o objetivo de poupar para o futuro, independente do que deseja alcançar.

Aproveite e boa leitura!

Quais são as ações que acabam com o objetivo de poupar para o futuro?

Algumas ações podem sim acabar com o seu objetivo de poupar para o seu futuro. E o pior é que estas parecem muito simples, passando despercebidas por uma quantidade muito grande de pessoas.

Não é atoa que quando falamos que precisamos de reeducação para lidar com as finanças, este acaba sendo um assunto sério e de muita importância. Grande parte da população não possui controle sobre o próprio dinheiro, tomando decisões erradas e terminando com o nome negativado em uma lista de órgãos de cobrança.

Apresentaremos agora um conjunto de ações que você deve tomar cuidado e se policiar se deseja obter uma boa poupança. Ao começar por:

Dividir um pagamento em muitas parcelas

Se o seu objetivo é poupar para conseguir adquirir algo no futuro, ou investir, ou qualquer outro plano que tenha em mente, saiba que as famosas parcelas em 12 vezes sem juros são um de seus piores inimigos.

Afinal, por mais que você consiga adquirir aquilo que deseja quando quer, ficar preso a uma dívida por um ano não é nada interessante. Principalmente quando vemos que este dinheiro comprometido poderia estar sendo aplicado em outro lugar.

Claro que nem sempre temos a opção de fugir do parcelamento. Em algumas situações, essa prática é realmente  necessária. Por exemplo, se a sua geladeira queima dentro de casa, será necessário providenciar uma nova o quanto antes.

Mesmo que estas sejam sem juros ( o que, de fato, não são), ainda assim aquele valor permanecerá por muito tempo dedicado a somente uma coisa específica, impedindo de poder contar com o dinheiro.

E o pior: a criação de parcelas já se tornou um hábito recorrente entre diversos brasileiros, entrando para a lista de maus hábitos culturais. Se uma pessoa tem a chance de parcelar, na grande maioria das vezes, ela irá parcelar, sem pensar duas vezes.

“Ah, mais é um valor pequeno” alguém poderia pensar. E sim, no começo, se tratando apenas de um preço único, realmente pode ser considerado assim. O problema começa quando perdemos a mão, compramos diversas coisas sem pensar e, quando nos damos conta, temos 4,5,6 parcelas de itens diferentes para pagar em um único mês.

E assim começa a bola de neve chamada dívida, onde a pessoa ficará cada vez mais desesperada e sem saber como poderá fazer para quitar.

Logo, o parcelamento é sim um recurso muito útil, mas vai contra os princípios da educação financeira. As boas práticas da educação financeira  dizem que se você quer algo e pode juntar o valor para adquirir isto, o faça, mas se não tem, espere.

Atrasar pagamentos

Outro ponto difícil de se lidar é com a honra de pagar as contas em dia. Ao menos, em nosso país. Por mais que isso não se aplique a todos, muitas pessoas acabam por atrasar uma conta ou outra no mês. Isso quando estas não têm de escolher o que irão pagar.

O problema disso são os juros, que ficam cada vez pior quanto mais você demora para realizar a quitação do valor. Taxas elevadas podem transformar uma conta razoavelmente barata em um verdadeiro pesadelo.

E muitas dessas estão atreladas diretamente ao dia de pagamento, onde existem penalizações pesadas para aqueles que demoram alguns dias para pagar, se agravando cada vez mais para quem demora um mês, e ficando ainda pior se é somente realizado o pagamento mínimo.

Evitar pagar contas em atraso pode lhe poupar muitas dores de cabeça. Tanto com valores que ficariam superiores caso não o pagasse, quanto com a desagradável situação de agentes de cobrança lhe ligando.

Em alguns casos, os juros de uma dívida em atraso são tão altos, que pode até mesmo compensar fazer um empréstimo com garantia de imóvel e quitar a dívida. Isso porque, os juros desse tipo dessa modalidade costumam ser muito menores que os causados por contas em atraso.

Não investir

Nenhum valor irá crescer se ficar parado na poupança!

Para conseguir economizar e alcançar o que deseja, será preciso focar em juntar uma quantia e investi-la, adicionando todo mês o que era antes separado para a mesma. Se possível, a prioridade será colocar mais do que anteriormente.

Dinheiro parado é apenas prejuízo. Existem diversas formas para começar a investir. Não é preciso apenas ter ações, mas sim, procurar por oportunidades que possam lhe ser lucrativas.

Estas ações podem ser evitadas

Com a educação financeira certa, será possível reverter qualquer cenário econômico em sua vida e começar a poupar a quantidade desejada. Apenas lembre-se que tudo depende da sua postura e como encara o dinheiro, tendo em mente a seriedade que este possui e demanda.

Portanto, se você deseja começar a poupar, o primeiro passo é colocar sua vida financeira em ordem. Comece pagando as dívidas que estão atrasadas, pois podem acumular cada vez mais . Ainda que para isso você precise recorrer a um empréstimo com garantia que, no final, apesar de parecer mais uma dívida, vai lhe render bem menos juros.

Notícias relacionadas