Propostas para concluir Creas do Progresso serão conhecidas amanhã

Licitação para o término do prédio foi lançada na segunda semana de novembro e simboliza o encaminhamento para o fim de uma espera de quase dois anos.
Foto: André Luiz/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,176 visualizações,  12 views today

As empresas interessadas em executar a obra de conclusão da sede do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), do bairro Progresso, serão conhecidas na quarta-feira, 1º. A licitação para o término do prédio foi lançada na segunda semana de novembro e simboliza o encaminhamento para o fim de uma espera de quase dois anos. A abertura das propostas está marcada para 14h, na sede da prefeitura. O valor global é de R$ 168.072,85

O Creas foi uma obra iniciada pelo governo estadual em 2018,  em uma área desmembrada do antigo Centro Social Urbano, demolido no começo de 2020. Os furtos constantes no local, porém, foram atrasando o cronograma de entrega do prédio. A empresa construtora abriu mão da obra e teve o contrato com o governo estadual rescindido.

Diante da não conclusão da construção, em 2020, a prefeitura municipal apresentou proposta para assumir a responsabilidade pelo término dos trabalhos. Na época, a cooperação ocorreu com o Estado repassando à prefeitura um veículo para uso pela Assistência Social, e o município, em contrapartida, se comprometendo a terminar a obra.

Furtos

Um levantamento do Portal, feito de abril de 2018 a junho do último ano, mostra que a coletânea de objetos furtados era considerável: portas de madeira, tanque de lavar roupa, fios de energia, barra de cobre do ar-condicionado e os próprios equipamentos de refrigeração, fechadura de porta, vasos sanitários. Em 2019, os funcionários da construtora não ficaram imunes e tiveram ferramentas levadas em um caso de furto.

Ao todo,  o edifício ocupa uma área de 631 metros quadrados e já custou mais de R$ 414 mil aos cofres públicos. Há algumas semanas, um princípio de incêndio foi registrado. Nos documentos do edital, também há um relatório de vistoria feito em fevereiro deste ano com apontamentos da lista do que foi furtado.