Polícia passa a usar equoterapia como tratamento a adolescentes vítimas de abuso sexual

Iniciativa está em fase piloto e vai atender inicialmente quatro adolescentes. Os resultados serão determinantes para a expansão do projeto.
Divulgação/PC
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,132 visualizações,  8 views today

Pescaria Brava sediou, na última semana, o evento que marcou o início do Projeto Liberdade, uma iniciativa da Polícia Civil, que usa a equoterapia com adolescentes vítimas de abusos sexuais

Esse método de terapia utiliza cavalos e tem objetivo de estimular o desenvolvimento saudável criando novas relações afetivas positivas nas jovens.

O projeto é uma iniciativa conjunta das delegacias de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (Dpcami) de São José e de Tubarão.

A iniciativa está em fase piloto e vai atender inicialmente quatro adolescentes. Os resultados serão determinantes para a expansão do projeto.

“É para desenvolver várias características, como a autoconfiança, a sensibilidade, a resiliência. Já é uma técnica utilizada para tratamento de pessoas com algum tipo de deficiência, pessoas com autismo, algum transtorno, e agora a gente vai desenvolver esse projeto de iniciativa de uma fisioterapeuta”, declarou a delegada titular da Dpcami, de São José, Mardjoli Adorian Valcareggi, ao jornal Correio de Santa Catarina.

Segundo a corporação, as terapias serão realizadas semanalmente nos centros de equoterapia Novo Horizonte, em São José, e Compasso do Coração, em Tubarão.