Morre pesquisador Galdino Santana de Limas aos 71 anos

Ele ficou conhecido por ter desenvolvido um sistema natural de dessalinização da água, a partir dos conhecimentos adquiridos e observações feitas quando jovem na lavoura e trato de animais na propriedade familiar. O método dele transformava água salgada em potável com uso de bambu, gerando menos resíduos e mais barato em relação ao processo tradicional.
Reprodução/Redes sociais

Empresário, pesquisador e inventor autodidata, Galdino Santana de Limas morreu nesta quarta-feira, 20, em Tubarão, onde estava internado há alguns dias após ter sofrido um acidente vascular cerebral. Ele tinha 71 anos.

Limas nasceu em 18 de agosto de 1950, em Criciúma, filho de Margarida Santana e José Manoel de Limas. Veio ainda criança para Laguna, com a família se estabelecendo na região do Distrito de Ribeirão Pequeno.

Ficou conhecido por ter desenvolvido um sistema natural de dessalinização da água, a partir dos conhecimentos adquiridos e observações feitas quando jovem na lavoura e trato de animais na propriedade familiar. O método dele transformava água salgada em potável com uso de bambu, gerando menos resíduos e sendo mais barato em relação ao processo tradicional.

O processo de Limas conseguia deixar a água do mar potável em cerca de 25 minutos, com auxílio de microrganismos que existem no bambu. Pesquisas comprovaram a potabilidade. Ainda desenvolveu os estudos que geraram um sistema natural de tratamento de efluentes, com cerca de mil estações de tratamento instaladas em vários estados do país, conforme site da empresa.

De acordo com biografia publicada no Jornal de Laguna, também foi líder comunitário, envolvido em causas da região de Ribeirão e foi presidente do Centro Comunitário da Cohab, do bairro Mato Alto. Em 1988, concorreu a vereador pelo então PMDB e obteve 146 votos, ficando na suplência. Foi a única vez que concorreu para um cargo eletivo. No ano de 2016, foi agraciado com o título de Cidadão Lagunense pela Câmara de Vereadores.

O velório será na capela mortuária da funerária Gomsan, das 8h às 11h, de quinta-feira, 21. O sepultamento acontece em seguida no cemitério de Ribeirão Pequeno.