Estabelecimento emite nota de esclarecimento sobre citação em operação

Na nota, a direção do mercado diz estar "à disposição dos órgãos competentes para elucidar todos os pontos" e que "sua diretriz sempre foi o bom relacionamento com os seus clientes, fornecendo produtos de qualidade e atendimento".
Divulgação/PC
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 5,264 visualizações,  32 views today

Citado em documento que vazou do processo da operação Hefesto, da Polícia Civil, o supermercado Farol, na Prainha de Santa Marta, emitiu uma nota de esclarecimento à população, na tarde deste domingo, 17.

Mais cedo, conforme publicou Agora Laguna, o estabelecimento negou ter comprado carne imprópria. Na nota, a direção do mercado diz estar “à disposição dos órgãos competentes para elucidar todos os pontos” e que “sua diretriz sempre foi o bom relacionamento com os seus clientes, fornecendo produtos de qualidade e atendimento”. Leia texto completo ao final.

O ofício foi expedido em 7 de outubro pelo delegado Antônio Márcio Campos Neves, de Morro da Fumaça, direcionado à diretora de Vigilância Sanitária estadual, Lucélia Scaramussa Ribas Kryckyj, com objetivo de informar o encaminhamento de documentos para conhecimento e basear providências cabíveis, com sugestão de visita aos locais. Além de Laguna, há mais três estabelecimentos em Criciúma e Içara.

A operação Hefesto surgiu a partir de denúncias recebidas sobre um CTG em Morro da Fumaça. A polícia deflagrou uma operação em setembro, onde flagrou a produção de carne bovina misturada a carne de animais como cavalo, abatidos de forma irregular. O abate de equinos não é ilegal, mas deve ser feito com todas as precauções sanitárias necessária e estar devidamente regularizados.

O caso tramitava em sigilo judicial até a última semana. Doze pessoas foram presas e uma denúncia à Justiça contra eles já foi oferecida pelo Ministério Público. A proteção ao processo foi adotada como uma forma de preservar os estabelecimentos de danos à imagem. “O ofício consta no processo. Não há certeza que eles sabiam. Compraram do cara que misturava carne de cavalo na carne moída”, justificou o delegado, ao Portal.

Leia a nota

Nota de esclarecimento

Em atenção aos nossos clientes, à imprensa e à sociedade em geral, em virtude das notícias veiculadas no último sábado (16/10), o Farol Supermercado vem esclarecer que está inteiramente à disposição dos órgãos competentes para elucidar todos os pontos que se façam necessários.

Ainda, o Farol Supermercado esclarece que sua diretriz sempre foi o bom relacionamento com os seus clientes, fornecendo produtos de qualidade e atendimento diferenciado, razão pela qual se mantém em atividade por mais de 13 anos.

Por fim, o FAROL SUPERMERCADO reitera seu compromisso com as boas práticas de mercado, além de buscar a eficiência em seus produtos e serviços, visando a plena satisfação dos seus clientes e da sociedade em geral.

Notícias relacionadas

Previous
Next