Chamada pública para boxes do mercado atrai somente uma empresa

Atualmente, há oito boxes com ocupação confirmada e se a empresa concorrente deste novo certame mantiver a vontade de implantar negócio no empreendimento comercial, serão nove no total.
Inauguração do Mercado Público em janeiro de 2020 – Foto: Elvis Palma/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 7,256 visualizações,  8 views today

Somente o box 12, destinado à instalação de um empório de vinhos, petiscos e produtos catarinenses atraiu investidor na chamada pública feita pela prefeitura com objetivo de atrair mais empresários para o Mercado Público, cuja sessão de apresentação de documentos ocorreu na tarde desta terça-feira, 5. Na tentativa de obter mais interessados, o município expandiu o prazo de entrega de documentos para 19h, encerrado sem protocolo de mais empresários. Atualmente, há oito boxes com ocupação confirmada e se a empresa concorrente deste novo certame mantiver a vontade de implantar negócio no empreendimento comercial, serão nove no total.

A única concorrente foi a empresa Leonardo Poletto, aberta um dia antes da concorrência, conforme dados da Receita Federal. A proposta total é de R$ 20.272,50 pela concessão de 20 anos. Os documentos serão analisados pelo setor jurídico do município e após um ato do prefeito Samir Ahmad (sem partido) homologando a dispensa de licitação – ação que pode ser adotada após editais anteriores não atraírem concorrentes –, a proponente vai ser chamada para assinar o contrato junto ao município.

Esse chamamento público, que difere de uma licitação tradicional em alguns processos (como o tempo), manteve a formatação dos editais anteriores e era visto com muitas expectativas por parte da prefeitura. “A procura pelos imóveis depois que divulgamos que vamos abrir dia 5 de dezembro despertou interesse e a busca está grande”, declarou o prefeito, em entrevista à Rádio Difusora, no início do mês.

Diante do prazo curto de cerca de dois meses até a reabertura, a prefeitura descarta relançar o chamamento. O Mercado Público vai reabrir com um vazio de dois terços de boxes sem ocupação, inclusive o restaurante panorâmico no segundo andar. Cenário que deve ser mantido ao menos até a segunda metade de janeiro, quando há previsão de lançar um novo processo licitatório. A avaliação interna, segundo apurado pelo Portal, é que com o edifício aberto, seja com os oito ou nove boxes, deve ficar mais fácil para despertar o interesse de empresários para os espaços vagos.

O Mercado Público foi reinaugurado em 2020 após quase seis anos em obras, que foram paralisadas por um tempo devido à problemas burocráticos, que desencadearam uma investigação policial. A edificação de 1957 substituiu o prédio original do século 19, destruído por um incêndio em 1937. Para muitos, é considerado como o coração comercial do Centro Histórico, dada a sua imponência e papel cultural desempenhado ao longo dos anos.