Arquivo público estará disponível em formatos digital e físico

O acervo é composto por documentos produzidos pelas três esferas do poder público (Judiciário, Legislativo e Executivo) e por encadernações preciosas de jornais, como a coleção quase completa de O Albor
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Em longo processo de desinfecção, digitalização e restauração desde 2018, o acervo documental da Casa Candemil retornou ao município nesta semana. Durante cerimônia, na tarde de sexta-feira, 15, essa ação foi confirmada com a reabertura simbólica do prédio, que sedia o Arquivo Público de Laguna.

Para todo esse trabalho, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) investiu mais de R$ 1 milhão, o que incluiu não só a parte documental, mas o próprio prédio, cuja restauração foi entregue em 2019. “Sabemos da importância e do valor histórico e cultural que Laguna tem”, discursou o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, durante a solenidade.

O acervo é composto por documentos produzidos pelas três esferas do poder público (Judiciário, Legislativo e Executivo) e por encadernações preciosas de jornais, como a coleção quase completa de O Albor. Boa parte desse material centenário estará disponível para consulta nos formatos digital e físico.

Segundo a presidente da Fundação Lagunense de Cultura (FLC), Vanere Almeida, a autarquia já trabalha para esquematizar como será a consulta dos documentos. “O horário não está definido ainda. Estamos verificando se será o dia todo ou só no expediente normal da prefeitura, das 13h às 19h, mas estará aberto ao público tão logo consigamos fazer o mapeamento do acervo, para melhor servir à população que gosta de história”, comenta.

Cine Mussi oficialmente repassado à prefeitura

A cerimônia ocorreu no Cine Teatro Mussi e serviu para que ocorresse a assinatura oficial da cessão de uso do prédio histórico para a prefeitura municipal, que passa a geri-lo, de forma oficial. No início do ano, o Sesc concluiu o processo de devolução e o Iphan aprovou a proposta municipal para a gestão do espaço, através da FLC.

“Agora, é nosso”, resumiu o prefeito Samir Ahmad (sem partido), ao assinar o documento. “A ideia é que possamos deixar o Mussi disponível para a população. Aguardem, pois temos muitos planos”, pontua Vanere. O evento também marcou a assinatura do termo de fomento para retomada do espetáculo A tomada de Laguna.

Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna