Nova mobilização é organizada para sexta-feira, no Camacho

Mobilização visa trocar informações e esclarecer o andamento do processo de licitação. Iniciado em agosto, a ação de contratação das empresas que farão o enrocamento e dragagem do canal segue em análise pela equipe de engenharia da prefeitura de Jaguaruna. Quatorze concorrentes se habilitaram para disputar o edital. 
Foto de arquivo: Juliana Biz

Pescadores afetados pelo assoreamento do canal da Barra do Camacho, no limite entre as cidades de Laguna e Jaguaruna, promovem na sexta-feira, 1º de outubro, uma mobilização para relatar ao poder público suas necessidades e pedir mais agilidade para as obras de enrocamento e desassoreamento. A organização é da União das Associações de Pesca da Ilha (Uapi), de Laguna. O ato será às 14h.

A mobilização visa, também, trocar informações e esclarecer o andamento do processo de licitação. Iniciado em agosto, a ação de contratação das empresas que farão o enrocamento e dragagem do canal segue em análise pela equipe de engenharia da prefeitura de Jaguaruna. Quatorze concorrentes se habilitaram para disputar o edital.

Estimativas da administração municipal vizinha apontam que cerca de três mil famílias são impactadas pela ausência de água no Camacho. “Houve uma necessidade dos pescadores de terem voz para exporem as necessidades que estão passando. E foi penando nesse momento específico para que eles possam falar. Vimos que tem pescador que não consegue mais sobreviver da pesca e tem desenvolvido outras atividades para tentar manter a sustentabilidade da família”, justifica a presidente da Uapi, Maria Aparecida dos Santos Ramos.

A entidade também convidou a prefeitura para participar do ato, que deve contato, ainda, com representantes da empresa que comercializa a areia retirada da barra. “É muito importante o pescador aderir e mostrar que está junto”.

Notícias relacionadas