Lobo-marinho-do-Sul resgatado em Laguna volta à natureza após reabilitação

Essa é uma espécie de pinípede, uma superfamília de mamíferos marinhos que engloba outras espécies de lobos-marinhos, leões, elefantes-marinhos e focas. É comum que durante o outono e o inverno, os animais desta espécie apareçam na região. Suas colônias reprodutivas ficam entre o Uruguai e a Argentina e eles saem de lá para buscar alimento e descanso no litoral brasileiro.
Foto: Cristiane Kolesnikovas/R3 Animal/Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 2,012 visualizações,  4 views today

Um lobo-marinho-do-Sul (Arctocephalus australis), resgatado no começo de agosto pela equipe do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), da Udesc de Laguna, voltou ao seu habitat natural. O mamífero marinho passou por um processo de reabilitação na Associação R3 Animal, que executa o mesmo projeto em Florianópolis, e foi solto neste sábado, 25, na praia do Moçambique, em Florianópolis.

De acordo com informações da R3 Animal, o macho juvenil tinha laceração de córnea em região ventral, no olho esquerdo, com aumento de volume e temperatura em tecidos perioculares, indicativos de inflamação.

“O lobo-marinho também estava com alterações respiratórias e gastrointestinais. O animal permaneceu em tratamento e incialmente não aceitava comer sozinho, sendo necessário o manejo alimentar através da contenção física”, descreve a veterinária Marzia Antonelli. “O lobo-marinho continuou em tratamento, mas já conseguia se alimentar sozinho, pescando peixes oferecidos diretamente na piscina. Apresentou excelente resposta clínica, com cicatrização completa da lesão ocular, não tendo mais alterações respiratórias, gastrointestinais ou laboratoriais, estando apto para soltura”, acrescenta.

Essa é uma espécie de pinípede, uma superfamília de mamíferos marinhos que engloba outras espécies de lobos-marinhos, leões, elefantes-marinhos e focas. É comum que durante o outono e o inverno, os animais desta espécie apareçam na região. Suas colônias reprodutivas ficam entre o Uruguai e a Argentina e eles saem de lá para buscar alimento e descanso no litoral brasileiro.