Previous
Next

Fêmea faz ‘despedida’ a boto recém-nascido morto

Comportamento chamado de epimelético aontece quando a fêmea acaba "escoltando" um boto recém-nascido que veio a óbito. É uma espécie de despedida que ocorre também em grupos e pode durar até dias.
Divulgação/PMP-BS

Pesquisadores do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), da Udesc de Laguna, registraram uma nova ocorrência do que se chama de comportamento epimelético com botos, que é como um sentimento de luto por parte desses animais. Isso ocorre em várias espécies de golfinhos e já foi registrado na cidade por algumas oportunidades, a primeira em 1994 e a mais recente em dezembro de 2018.

Acontece quando a fêmea acaba “escoltando” um boto recém-nascido que veio a óbito. É uma espécie de despedida que ocorre também em grupos e pode durar até dias. A nova cena foi registrada na manhã desta quarta-feira, 29, por pescadores, que acionaram a equipe especializada.

Além do PMP, a Polícia Militar Ambiental (PMA) ajudou no recolhimento do animal. O recém-nascido foi enviado para a Unidade de Estabilização, onde será feita necropsia para determinar a causa da morte. Se trata de um macho com pelo menos um dia de decomposição.

PMP-BS

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no polo pré-sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

Caso encontre algum animal marinho vivo ou morto, entre em contato com o projeto pelo telefone 0800 642 3341.

Notícias relacionadas

Previous
Next