Chama Crioula será acesa em Laguna para celebrar Anita e a Revolução Farroupilha

Chama carrega, para os gaúchos, a história, a tradição, a alma da sociedade sul rio-grandense, construída ao longo de pouco mais de três séculos. "Em torno dela construímos um ambiente de reverência ao passado, de culto aos feitos e fatos que nos orgulham, de reflexão sobre a sociedade que somos e a que queremos ser. Como um símbolo que une nosso estado, ela estará presente em todos os galpões, todos os acampamentos, todas as manifestações de amor à tradição, ardendo no candeeiro, sempre carregada de a cavalo por homens e mulheres que sabem o que fazem e o que querem", detalha a entidade.
Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,952 visualizações,  12 views today

Um cavalgada, nesta segunda-feira, 13, vai marcar o acendimento da Chama Crioula em Laguna. É uma forma de comemorar o bicentenário de nascimento de Anita Garibaldi e também lembrar a Semana Farroupilha, tradição do Rio Grande do Sul, que remonta à Proclamação da República Rio-grandense, em 1835.

O evento ocorrerá às 19h, na praça República Juliana, no Centro, e contará com a participação da Ordem dos Cavaleiros de Santa Catarina e do Departamento de Guardiãs de Anita, do Instituto CulturAnita. A Sociedade Musical Carlos Gomes fará apresentação musical no evento. Daqui de Laguna, a chama seguirá para Sombrio, no Extremo Sul, e passará por vários CTGs do Litoral Sul.

Segundo o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), o primeiro acendimento da chama foi em 7 de setembro de 1947. Ela carrega, para os gaúchos, a história, a tradição, a alma da sociedade sul rio-grandense, construída ao longo de pouco mais de três séculos.

“Em torno dela construímos um ambiente de reverência ao passado, de culto aos feitos e fatos que nos orgulham, de reflexão sobre a sociedade que somos e a que queremos ser. Como um símbolo que une nosso estado, ela estará presente em todos os galpões, todos os acampamentos, todas as manifestações de amor à tradição, ardendo no candeeiro, sempre carregada de a cavalo por homens e mulheres que sabem o que fazem e o que querem”, detalha a entidade.

Mais informações

Sobre a cavalgada, é possível obter informações pelo telefone (48) 9 9660-1414 (Sandro).

Previous
Next