Orientar & Fiscalizar: Lições aprendidas de acidentes para uso dos tripulantes de embarcações – Parte 1

Estes resumos contém as lições aprendidas para que estas ocorrências não se repitam.
Editoria de arte/DelLaguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,384 visualizações,  4 views today

São o resumo efetuado pelo Subcomitê de Implementação do Estado de Bandeira (FSI), da Organização Marítima Internacional (IMO), sobre as investigações realizadas e recomendações de prevenção divulgadas pelos Países de Bandeira na ocorrência de acidentes muito graves com embarcações que arvoram as suas respectivas bandeiras. Estes resumos contém as lições aprendidas para que estas ocorrências não se repitam.

– O que aconteceu?

Um tripulante de uma traineira desapareceu à noite enquanto o navio estava lançando suas redes. A última vez em que foi visto estava parado perto da popa da embarcação. Uma busca foi iniciada logo depois em que se verificou seu desaparecimento, tendo sido somente encontrado  seu colete salva-vidas encontrado a deriva, inflado, com a luz da lanterna ativada. O tripulante nunca mais foi avistado.

– Por que aconteceu?

Não se sabe ao certo se ele caiu ao mar já que o incidente não foi visto por ninguém; no entanto, é possível que ele tenha sido arrastado sobre a popa pelas redes, sendo lançado para fora do barco sobre o rolo de popa. Uma possibilidade para o suposto afogamento, seria o uso incorreto do seu colete salva-vidas.

– O que podemos aprender?

Certifique-se sempre não se aproximar muito de redes, fios, rolos, etc, em movimento, especialmente se não for necessário para realizar uma tarefa. Aquele tripulante poderia ter sobrevivido se o colete salva-vidas tivesse sido usado corretamente e firmemente preso. Em virtude disso, é aconselhável que todos os pescadores usem coletes salva-vidas quando lançam redes (“shooting“). O uso do coletes salva-vidas com iluminação irá melhorar muito suas chances de ser rapidamente resgatado, caso caia no mar.

Serenidade: Ações preventivas, individuais e coletivas, para neutralizar os efeitos do vírus, evitando informações que não conduzam à solução.

Firmeza: Decisões assertivas, mantendo a máxima capacidade operativa para cumprir a missão e atuar em prol da sociedade.

Atenção!!

Ao observar alguma situação que represente risco para a segurança da navegação, para a salvaguarda da vida humana no mar ou para a prevenção da poluição hídrica, procure a Capitania dos Portos, Delegacia ou Agência mais próxima de sua região clicando aqui.

Telefone emergencial da Marinha: 185

Pelo Ato nº 881, de 18 de fevereiro de 2008 da Anatel, foi autorizado o uso do Código de Acesso a Serviço Público de Emergência no formato “185”, para atendimento nos serviços prestados pela Marinha do Brasil, para atendimento da salvaguarda da vida humana no mar, com a designação de “Marinha – Emergências Marítimas e Fluviais”.

Contato:
Delegacia da Capitania dos Portos em Laguna.
Telefone: (48) 3644-0196
Email: [email protected]

Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Agora Laguna.

Útimas Notícias