Câmara dá título de Cidadão Lagunense a deputado; Moisés deve receber mesma honraria

Na mesma sessão, Câmara rejeitou abertura de CPI contra prefeito e aprovou projetos de lei sobre a lista dos vacinados.
Divulgação/Gabinete Felipe Estevão/Arquivo
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 2,156 visualizações,  8 views today

A Câmara de Vereadores de Laguna aprovou a concessão do Título de Cidadão Lagunense ao deputado estadual Felipe Estevão (PSL). A proposta apresentada na última semana foi votada em sessão na tarde desta terça-feira, 1º.

O projeto é de autoria de Edi Goulart Nunes (PSD) com mais seis vereadores e foi aprovado por unanimidade. Estevão é natural de Criciúma e veio morar em Laguna ainda recém-nascido. Foi aqui na cidade que ele começou a carreira política ao se filiar ao Partido Social Cristão (PSC) e disputar a vaga de vice-prefeito em 2016. Dois anos depois, já no PSL, se elegeu deputado com a sétima maior votação do estado.

Já na próxima sessão, os vereadores vão discutir se aprovam a mesma honraria para o governador Carlos Moisés da Silva (PSL), natural de Florianópolis. A proposta foi apresentada pelo edil Kleber Roberto Lopes (PSL). A tendência é que a concessão seja deferida, já que o projeto tem o apoio dos 12 demais vereadores.

O Título de Cidadão Lagunense é uma honraria concedida anualmente a pessoas nascidas fora do território de Laguna, mas que prestaram serviços relevantes à sociedade. Com a pandemia do novo coronavírus, a entrega da ‘cidadania lagunense’ ocorre sem evento presencial solene e é realizada pelo vereador proponente.

Rejeição de denúncias

Duas denúncias apresentadas pelo ex-vereador Antônio César da Silva Laureano, o Tono (MDB), contra o prefeito Samir Ahmad (PSL) foram rejeitadas pela Câmara de Vereadores, durante a sessão. Laureano apresentou fatos acerca da empresa contratada para prestar o serviço de iluminação pública de forma emergencial, alegando que a contratada não possui cadastro de atividades empresariais específicos e que está inscrita em cadastro de impedimentos. O emedebista também questionou a nomeação de um servidor (já exonerado), que possui restrição judicial para atuar junto ao poder público.

O requerimento apresentado pedia a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a denúncia contra a empresa e o início de um processo de impeachment contra Ahmad. A rejeição das duas denúncias foi por unanimidade. Essa foi a primeira tentativa de se criar uma CPI no atual governo.

Outras matérias

A Câmara ainda aprovou o projeto que altera de diário para semanal a frequência de divulgação da lista dos vacinados contra coronavírus na cidade, proposta pela prefeitura; também a criação de um memorial às vítimas desta doença, de autoria de Rodrigo Bento (PL) e a instalação do programa de Câmara Mirim na cidade, proposição do presidente Rhoomening Rodrigues (PSDB). Os textos seguem para sanção do Executivo.