Municípios são orientados a intensificarem campanha de vacinação anti-Covid

Em Laguna, já está aberto o agendamento para pessoas com doenças preexistentes acima de 18 anos (veja a lista abaixo). A agenda começa a partir de segunda-feira, 24.
Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom Governo SC
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 3,880 visualizações,  8 views today

Os municípios de Santa Catarina foram orientados a aumentar a cobertura vacinal do grupo de pessoas portadoras de comorbidades. A recomendação conjunta é da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS). A ideia é ampliar a divulgação dos grupos prioritários, promovendo uma semana intensa de vacinação contra o coronavírus, de forma concentrada, entre 22 a 30 de maio.

A orientação foi detalhada em nota técnica. Segundo o Estado, além da intensificação, as cidades foram orientadas a realizar busca ativa das pessoas cadastradas nos programas de atenção às doenças crônicas, de forma a incentivá-las para que façam a vacinação. “É muito importante que as pessoas que fazem parte desse grupo recebam a vacina. São indivíduos com maior risco de desenvolvimento de formas graves da doença”, afirma Eduardo Macário, superintendente de Vigilância em Saúde de SC.

Em Laguna, já está aberto o agendamento para pessoas com doenças preexistentes acima de 18 anos (veja a lista abaixo). A agenda começa a partir de segunda-feira, 24.

Regras

Para receber a dose, as pessoas que fazem parte do grupo prioritário precisam apresentar um documento de identificação com foto, além de:

– Cadastros já existentes nas Unidades de Saúde ou outros serviços dos municípios que comprovem a condição de risco (comorbidade);
– Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa, contendo a descrição do CID, dos últimos três anos para as condições permanentes;
– Atestado médico ou relatório médico com a indicação da condição da pessoa;
– Prescrição médica ou exames ou receitas que deixem claro a condição da pessoa considerando o prazo de validade de um ano para as prescrições de medicamentos de uso não controlados;
– Declaração do enfermeiro do serviço de saúde onde o usuário faz o tratamento de acordo com os protocolos municipais.

No caso de obesidade mórbida (IMC maior que 40 kg/m2), poderá ser aceito laudo emitido por nutricionista e/ou profissionais da saúde de acordo com os protocolos municipais.

Para casos de hipertensão arterial estágios 1 e 2 (PA sistólica entre 140 e 179 mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109 mmHg) são consideradas as seguintes situações:
– para as pessoas a partir de 50 anos de idade em uso contínuo de medicamentos antihipertensivos, sejam aceitos atestados, laudos ou prescrições com a descrição “hipertensão arterial”.
– para as pessoas de 18 a 49 anos de idade em uso contínuo de medicamentos antihipertensivos e que apresentem obesidade de qualquer grau (IMC maior ou igual a 30), sejam aceitos atestados, laudos ou prescrições com a descrição “hipertensão arterial” e “obesidade grau I ou II” ou cálculo do IMC de acordo com os protocolos municipais.

Comorbidades

Recentemente, o plano de vacinação sofreu atualizado e passou a incluir pessoas com doenças neurológicas crônicas que impactem na função respiratória, doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular e indivíduos com deficiência neurológica grave, paralisia cerebral, esclerose múltipla ou condições similares, passam a fazer parte do público-alvo.

Além disso, a estratégia mantém a orientação de que apenas gestantes e puérperas (em até 45 dias após o parto) com comorbidades, acima de 18 anos, devem ser vacinadas com as vacinas Coronavac ou Pfizer, sendo contraindicado o uso da vacina AstraZeneca neste grupo. As gestantes e puérperas (incluindo as sem fatores de risco adicionais) que já tenham recebido a primeira dose da vacina AstraZeneca deverão aguardar o término do período da gestação e puerpério (até 45 dias após parto) para a administração da segunda dose da vacina.

Primeira fase da vacina para pacientes com comorbidades inclui

  • Pessoas com Síndrome de Down, independente da idade (18 a 59 anos);
  • Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise), independente da idade (18 a 59 anos);
  • Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea, independente da idade (18 a 59 anos);
  • Gestantes e puérperas com comorbidades, independente da idade (maiores de 18 anos);
  • Pessoas com deficiência permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC), independente da idade (18 a 59 anos);
  • Pessoas com comorbidades e deficiência permanente de 55 a 59 anos;
  • Pacientes com asma grave será solicitado atestado médico e receituário de medicação que foi usado no último ano.

Segunda fase da vacina para pacientes com comorbidades inclui

  • Pessoas com deficiência permanente e gestantes e puérperas, independentemente de condições pré-existentes considerando os seguintes critérios de priorização por faixa etária, de forma escalonada da maior para a menor idade, de acordo com os seguintes grupos: 54 a 50 anos; 49 a 45 anos; 44 a 40 anos; 39 a 35 anos; 34 a 30 anos; e 29 a 18 anos.

Telefones das unidades para agendamento

  • Cabeçuda – 3644-2076
  • Campo de Fora – 3647-6377
  • Caputera – 3644-3248
  • Magalhães – 3644-0602
  • Mar Grosso – 3644-4826
  • Passagem da Barra – 3647-1742
  • Portinho – 3646-0174
  • Progresso – 3646-0082
  • Ribeirão Pequeno – Agendamento direto no posto.