Grupo chama atenção para morte de botos e necessidade de preservação da espécie

Iniciativa foi do movimento Boto Vivo, criado no final de 2018, quando a mortandade de botos atingiu índices altíssimos. Boa parte dos animais homenageados pelas cruzes simbólicas perderam a vida naquele ano. 
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,844 visualizações,  4 views today

Cruzes com fotos e nomes de botos-pescadores de Laguna (Tursiops truncatus) foram colocadas na região do Molhes da Barra nesta sexta-feira, 7. O objetivo é chamar a atenção para a necessidade se preservar a espécie, famosa pela interação com os pescadores nativos da localidade, e também alertar para a mortalidade dos cetáceos.

O protesto, definido como uma ação socioambiental e sociocultural em prol da proteção dos botos e valorização dos pescadores, foi uma iniciativa do movimento Boto Vivo, criado no final de 2018, quando a mortandade de botos atingiu índices altíssimos. Boa parte dos animais homenageados pelas cruzes simbólicas perderam a vida naquele ano.

“Queremos deixar uma marca para chamar a atenção. Nós temos que continuar defendendo os boto-pescador. Não somos contra embarcações, redes de pesca, desde que pesquem da forma legal e passem na velocidade legal”, disse o fotógrafo e pescador Ronaldo Amboni. “Todo mundo tem que ter um pouco de conscientização. Não podemos ficar sem eles”, resumiu o pescador Lucas Chede, popular ‘Chokito’. “Os pescadores são os guardiões do boto e sem eles, essa simbiose [interação] não existe. Temos que pensar nessa dupla”, acrescentou o pesquisador Wellington Linhares.

Os homens do mar receberam dias antes da ação, um kit com bonés, máscaras, sacochilas, marmitas e balas de doce de leite, conseguidos por meio de uma doação voluntária, visando proporcionar conforto e segurança, além de incentivar os mesmos a serem parceiros também na campanha de proteção dos botos. Foram 100 conjuntos distribuídos.

Sessenta totens de conscientização também foram espalhados em alguns pontos da cidade, com o Projeto de Monitoramento de Praias e a Câmara Municipal. Esses materiais contém um código QR que redireciona para o site www.pescacombotos.art.br, onde há um canal de denúncias para cada tipo de ocorrência, diretamente ligado aos setores de órgãos responsáveis pela fiscalização.

A iniciativa desta sexta ocorre há menos de três semanas do dia 25 de maio, declarado como Dia Estadual da Preservação do Boto-Pescador, e também faz parte das metas de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, definidas pela Organização das Nações Unidades (ONU) em sua “Agenda 2030”: saúde e bem estar, cidade e comunidades sustentáveis, vida na água e parcerias e meios de implementação.