Colégio Militar planeja aulas 100% presenciais em Laguna

Por ser um imóvel amplo e com janelas que permitem uma ventilação considerável, há possibilidade de que todos os 70 alunos, divididos em duas turmas por turno, fiquem em sala e, ao mesmo tempo, haja distanciamento social.
Foto: André Luiz/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 2,192 visualizações,  8 views today

Já instalado no prédio-sede, o Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires (unidade Jerônimo Coelho), de Laguna, aguarda a liberação das documentações finais para poder oferecer aulas totalmente presenciais em sua estrutura a partir de maio. A intenção foi confirmada pelo diretor da unidade, tenente-coronel Peterson do Livramento.

“Estamos no momento com ensino remoto, mas nas próximas semanas, quando forem liberados todos os alvarás de funcionamento do colégio, iremos funcionar no modelo 100% presencial”, garante Livramento, que justifica a iniciativa com base na arquitetura da edificação. Por ser um imóvel amplo e com janelas que permitem uma ventilação considerável, há possibilidade de que todos os 70 alunos, divididos em duas turmas por turno, fiquem em sala e, ao mesmo tempo, haja distanciamento social.

A instituição funciona no prédio da extinta escola estadual Jerônimo Coelho, que funcionou entre 1912 e 2017. Após migração dos alunos para a escola Almirante Lamego, foi iniciado um processo para a implantação de uma unidade do Colégio Militar em Laguna, iniciativa confirmada apenas em 2018 e efetivamente instalada a partir de 2019. As turmas são formadas a partir de um processo seletivo, sendo 50% de vagas destinadas a dependentes de militares do Estado e 50%, público em geral.

R$ 500 mil em emenda

O Colégio Militar recebeu na última sexta-feira, 16, uma emenda de R$ 500 mil, destinada pelo deputado estadual Felipe Estevão (PSL) para aquisição de equipamentos e mobílias para a unidade. No mês passado, o colégio recebeu computadores adquiridos pelo governo do Estado, também através de emenda do mesmo parlamentar. “Dei essa parcela de cooperação de meio milhão para dar condições de colégio funcionar com toda a plenitude”, pontua o deputado.

Notícias relacionadas