Bombeiro reencontra menina salva por ele em Laguna há quase dez anos

"Lembrava do caso, mas não saiba ainda quem era. Aí eles trouxeram a Antonella e disseram: 'Essa aí, Beto, é a menina que tu ajudou a salvar de noite, quando se engasgou com leite'. Conversamos muito e nos emocionamos. Fiquei sem palavras, pois salvamos uma vida, né? E hoje ela está aí, estudando e plena de saúde", comenta o sargento, que é natural de Capivari de Baixo e hoje mora na Vila Vitória.
Divulgação/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 7,388 visualizações,  4 views today

Nove anos atrás, na virada de 2011 para 2012, no bairro Magalhães, uma bebê recém-nascida, com cerca de dez dias, se engasgou com leite. Por coincidência, na guarnição de bombeiros que foi atender a ocorrência, estava um amigo da família que acabou fazendo as manobras que permitiram que a menina fosse salva. No começo deste mês, em pleno Sábado de Aleluia, eles se reencontram pela primeira vez.

O encontro emocionante para ambos não foi nada combinado. Carlos Alberto Martins, 53, sargento aposentado do Corpo de Bombeiros, foi à casa dos avós de Antonella, hoje com 9 anos, para ajudar o avô dela, Pedro, com quem havia trabalhado um tempo na corporação de Tubarão, sobre uns coqueiros que estavam ameaçando a estrutura. Tempos depois a avó, Jasiane Ferreira, contou que a bebê que ele havia salvo estava ali. Antonella foi a primeira neta do casal.

“Lembrava do caso, mas não saiba ainda quem era. Aí eles trouxeram a Antonella e disseram: ‘Essa aí, Beto, é a menina que tu ajudou a salvar de noite, quando se engasgou com leite’. Conversamos muito e nos emocionamos. Fiquei sem palavras, pois salvamos uma vida, né? E hoje ela está aí, estudando e plena de saúde”, comenta o sargento, que é natural de Capivari de Baixo e hoje mora na Vila Vitória.

Antonela, que sonha em ser veterinária, mora com os pais e a irmã mais velha em Capivari de Baixo. Naquele Réveillon, toda a família decidiu passar a virada em Laguna. A preocupação tomou conta quando a pequena se afogou com o leite, situação que é muito comum em bebês – Agora Laguna contou uma história semelhante ano passadoCom muito esforço, conseguiram acionar uma guarnição dos bombeiros que esteve até no local.

“Ela foi levada ao hospital e recebeu todo o atendimento”, recorda Jasiane. “Naquele sábado, eles estavam na mesma casa, nove anos e quatro meses depois. Chamei a Antonella e disse: ‘Vem aqui conhecer o moço que salvou sua vida’. Somos muito gratas a ele e hoje, ela é uma menina muito estudiosa, com notas excelentes. Um presente de Deus. Agradecemos também toda a guarnição de serviço, que foram muito ágeis”, pontua.