SC deve mudar estratégia no fim de semana, diz Moises à TV

Foto: Elvis Palma/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 976 visualizações,  4 views today

O fim de semana deve ser com os serviços considerados não essenciais funcionando, mas com as mesmas restrições aplicadas de segunda à sexta. É o que informou o governador Carlos Moisés (PSL), em entrevista ao telejornal SCC Meio-dia, do SCC SBT, nesta quarta-feira, 17.

A declaração foi feita à emissora, quando o governador falava sobre a implantação de um fechamento total, o conhecido lockdown, como havia sido pedido pelos órgãos de fiscalização do estado.

“Entendemos que lockdown por lockdown acaba penalizando aquelas pessoas que produzem e cumprem regras. Precisamos entender que há ambiente de trabalho seguro e precisamos manter esse trabalho funcionando. E temos que fiscalizar as festas clandestinas, o movimento à noite… e por isso, vemos que as medidas que colocamos durante a semana, podem ser continuadas nesse sentido [no fim de semana]”, afirmou Moisés.

Questionado se o Estado poderia adotar um decreto mais rígido como os 22 municípios da Grande Florianópolis montaram, com direito à suspensão das aulas na rede escolar, o político disse que respeita o que os prefeitos decidem, e respondeu: “A nossa intenção, avaliando o número de casos ativos, é a gente continuar adotando as medidas que já adotamos para Santa Catarina”.

Nesse contexto, devem permanecer as regras para que determinam circulação do transporte coletivo com 50% da capacidade e horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais fixados entre 06h e 23h59.

Assim como a autorização para que cinemas, parques e templos religiosos funcionem com 25% da capacidade, e permissão de funcionamento para agências bancárias e lotéricas. Também seria mantida a restrição para o fornecimento com consumo local de bebidas alcoólicas entre 21h até as 6h.

Todavia, apesar do anúncio feito na entrevista ao SCC SBT, para que as medidas tenham validade, elas precisam constar em decreto, o que deve ser feito até a próxima sexta-feira, 19.