Saúde monitora mortes de macacos na região da Amurel

Divulgação/Prefeitura de Maracajá
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 580 visualizações,  4 views today

Os macacos encontrados mortos nas cidades de Santa Rosa de Lima, São Martinho e Rio Fortuna acenderam um alerta para a possível circulação do vírus da febre amarela na região da Amurel, composta por mais 15 municípios, incluindo Laguna e Pescaria Brava.

Os primatas não tinham sinais de agressão, atropelamento ou qualquer sinal de interação com outros macacos que pudessem provocar as mortes. Os animais foram recolhidos e submetidos a exames para que seja determinada a causa da morte e possível relação com o vírus infeccioso.

Gabriela Nunes, coordenadora da Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) de Tubarão, explica que os macacos não transmitem o vírus, mas servem como sentinelas. “Macacos mortos são analisados em exames específicos para detectar a verdadeira causa da morte, o que aciona o alerta de cuidado com as pessoas”, diz. Os laudos devem ser divulgados em breve.

A febre amarela é uma doença infecciosa que se manifesta com calafrios, dor de cabeça intensa, nas costas, no corpo, náuseas, vômitos, fadiga e fraqueza. O início súbito de febre também é um sintomas da infecção.

“A maioria das pessoas melhora após esses sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença”, explica Gabriela. Nesse caso, é importante procurar um médico na unidade de saúde próxima e também informar sobre possíveis viagens às áreas de risco e comunicar se tomou vacina, data e avisar as autoridades sanitárias do estado ou do município.

Vacina é a melhor forma de prevenção

A febre amarela tem na vacina sua melhor forma de prevenção. Segundo a secretária municipal de Saúde de Laguna, Gabrielle Siqueira, a cidade está atenta ao estado de monitoramento na região após as mais de 20 mortes de primatas.

“A vacina da febre amarela não tem campanha, mas ela está disponível para todos em nosso município até 59 anos e a nossa recomendação é que se alguém encontrar algum macaco morto em Laguna comunique a Vigilância Epidemiológica com a maior urgência”, orienta a gestora.

De acordo com o Ministério da Saúde, uma dose equivale para toda vida. Isto é, uma vez vacinada a pessoa já está imune. A vacina pode ser tomada por pessoas entre nove meses e 59 anos de idade, que nunca tenham recebido aplicação da mesma.

São poucos os casos de pessoas que obtiveram reação à vacina. O que pode acontecer, de 5 a 10 dias depois da vacinação, sintomas como febre, dor de cabeça e dor muscular. Já as reações de hipersensibilidade são raras, e geralmente atribuídas às proteínas do ovo contidas na vacina, aos alérgicos.

A vacina não é indicada para pacientes com doenças cardiovasculares, crianças menores que nove meses, paciente com doenças renais, grávidas ou mulheres que estão amamentando, transplantados, pessoas com mais de 60 anos, pessoas com sistema imunológico deprimido, portadores de HIV, pacientes que fazem tratamento com corticoide e alérgicos a ovo e gelatina bovina.

Saiba mais

A febre amarela é uma doença causada por um vírus, transmitido pela picada de um mosquito fêmea infectado. Em núcleos urbanos, o Aedes aegypti (transmissor da dengue) também pode ser um vetor para espalhar a febre. Laguna não tem focos desde 2018 desse mosquito.

Para a febre amarela não existem medicamentos específicos para a cura da doença, apenas que tratam os sintomas. O próprio sistema imunológico do paciente elimina o vírus do organismo.

Previous
Next