PM usa cão em buscas por Diego Scott, enquanto trabalha para concluir inquérito

Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 884 visualizações,  4 views today

O Inquérito Policial Militar (IPM) aberto para a apurar as circunstâncias do desaparecimento de Diego Scott, 39 anos, em janeiro, deve ser concluído até a segunda semana de março. Com a prisão preventiva dos dois policiais envolvidos no atendimento à ocorrência na casa da família, no bairro Progresso, o processo de apuração interna ganhou mais 20 dias.

Após a conclusão, o documento será remetido à Vara Militar em Florianópolis. “Temos um novo prazo de 20 dias que começou a contar com a execução da prisão [15 de fevereiro]. A informação que tenho da oficial que conduz o inquérito é que ainda esta semana, ou mais tardar na outra, estaria findado o procedimento”, diz o major Marcelo Oliveira Santos, chefe da Seção de Planejamentos do 28º Batalhão de Laguna.

As últimas oitivas necessárias para as conclusões estão sendo realizadas na tarde desta segunda-feira, 1º. Em paralelo, hoje, a PM de Laguna começou a usar nas buscas cão farejador, vindos da corporação de Joinville.

“A PM está em buscas tentando ver se localiza indícios ou alguma prova, enfim. Queremos verificar o que aconteceu e estamos atrás da verdade. A PM tem muito interesse em descobrir o que aconteceu com o senhor Diego após a abordagem naquele fatídico dia”, frisa o oficial.

As buscas estão concentradas na região do Laguna Internacional e praia do Gi, mencionada nos depoimentos como o local onde Diego Scott teria sido deixado pelos dois policiais na ocorrência do último dia 15.

O caso

Diego Bastos Scott, 39 anos, desapareceu no dia 15 de janeiro após uma discussão familiar em sua residência no bairro Progresso. A Polícia Militar (PM) foi acionada para apartar a situação e o homem foi colocado dentro da viatura e teria sido deixado no Laguna Internacional, mas no boletim original, constava que ele não estava no local.

Depoimentos divulgados com exclusividade pelo Portal mostraram que a versão dos policiais foi alterada, depois de as imagens da câmera de segurança de uma residência próxima terem confirmado que Scott foi posto na viatura.

Policiais civis têm feito buscas na região do Gi. O local é formado por mata, estradas de chão de conservação prejudicada devido à chuva e inúmeros banhados.

Na mesma localidade, familiares e amigos de Diego Scott também têm feito buscas por conta própria. No começo da última semana, eles esvaziaram uma piscina desativada em um antigo camping no Laguna Internacional, mas sem nenhum sinal. Uma denúncia anônima dava conta que Diego poderia ter sido deixado no local.

Os policiais envolvidos no caso foram presos preventivamente quando a ocorrência completou exatamente um mês, em 15 de fevereiro. Na última semana, pedidos de relaxamento ou revogação da medida foram negados pela Justiça Militar.

Denúncias

Informações que podem ajudar a elucidar o caso e a chegar ao paradeiro de Scott podem ser repassadas ao Disque Denúncia, pelos telefones: 181, da Polícia Civil, e o (48) 9 9118-3684, da DIC. Em todos os números, a garantia do anonimato é assegurada.

Notícias relacionadas