Matriz de risco não tem alteração e região da Amurel segue no vermelho

Três regiões, de todas as avaliadas, receberam nota máxima nos quesitos analisados. Isso representa uma piora em comparação à semana passada, quando apenas a região do Extremo Sul tinha todos os indicadores em vermelho.
Divulgação/Secom-SC

Pela quinta semana consecutiva, a matriz de risco potencial usada para avaliar o avanço do novo coronavírus no estado segue na cor vermelha, o que indica risco gravíssimo. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde, neste sábado, 27.

Três regiões, de todas as avaliadas, receberam nota máxima nos quesitos analisados. Isso representa uma piora em comparação à semana passada, quando apenas a região do Extremo Sul tinha todos os indicadores em vermelho.

“De uma maneira geral, houve uma piora nos indicadores, principalmente no monitoramento e na transmissibilidade”, explica a cientista de dados Bianca Vieira. As regiões mais graves são o Alto Vale do Itajaí, Foz do Rio Itajaí e Planalto Norte. A região Oeste, por sua vez, manteve o índice de transmissibilidade estável – o mesmo 2,5 da semana passada.