Deputado cobra mais fiscalização em obras públicas

Bruno Souza explicou que o projeto que motivou sua vinda à Laguna, além de denunciar o abandono de estruturas públicas e o descaso com o dinheiro do contribuinte catarinense, visa servir como um instrumento de incentivo e subsídios para que os cidadãos também façam suas fiscalizações.
Divulgação/Comunicação Bruno Souza
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 3,492 visualizações,  4 views today

Restaurante-escola, sambódromo e um espaço que deveria ser um ginásio. Esses três locais foram visitados pelo deputado estadual Bruno Souza (NOVO) em Laguna, nesta sexta-feira, 26. O parlamentar realiza, desde 2019, uma série de idas a pontos que chama de “elefantes brancos” em Santa Catarina, numa iniciativa denominada Fiscalizando o Estado’. Souza anteriormente já esteve em Tubarão.

À reportagem do Portal Agora Laguna, o parlamentar explicou que o projeto que motivou sua vinda à cidade, além de denunciar o abandono de estruturas públicas e o descaso com o dinheiro do contribuinte catarinense, visa servir como um instrumento de incentivo e subsídios para que os cidadãos também façam suas fiscalizações.

Souza diz ter recebido denúncias sobre a subutilização do restaurante, do terreno onde deveria ser construído um ginásio para a escola municipal Comandante Moreira, de Campos Verdes, e o sambódromo, que é utilizado apenas pela Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) e a ONG Acustra. Esse último local, onde fez uma live em uma rede social, o deputado avalia como “aquém do adequado para se trabalhar ou qualquer coisa acontecer ali”, apesar da “boa vontade dos funcionários da regional de Educação”.

“Essas obras abandonadas são comuns no estado inteiro e isso acontece porque os gestores públicos não estão lidando com o seu dinheiro; se estivessem, com certeza teriam mais cuidado e zelo. Outro motivo é que nós não responsabilizamos quem assina, quem diz ‘ok’, quem manda fazer uma obra e depois abandona, quem aceita o projeto mal feito, quem vai lá e diz pagar uma empresa que faz uma obra mal realizada… isso é porque o gestor público gasta o dinheiro público e não o dele”, afirma o deputado.

De acordo com Souza, já foram feitos contatos com a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) para agilizar soluções para que o restaurante escola possa funcionar. Desde 2016, a Udesc gere o espaço, mas problemas estruturais o impedem de entrar em plena operação. Já sobre o sambódromo, o deputado diz ter solicitado ao secretário estadual de Educação para que dê atenção ao local.

Ao Portal, também disse que buscou detalhes com a prefeitura municipal para entender o que ocorreu com a obra do ginásio de Campos Verdes. “Soube que há um processo administrativo e eu vou acompanhar para que saibamos quem foram os responsáveis e o que aconteceu de fato. Meu compromisso é acompanhar e entender se vai haver uma denúncia ao Ministério Público – e se a prefeitura não o fizer, devo fazê-la”, pontua o parlamentar.

O que dizem os gestores dos espaços

A Udesc de Laguna disse ao Portal que já possui projetos prontos para a revitalização do local e que aguarda os contatos para futuras discussões sobre o assunto, em busca de encaminhamentos que possam auxiliar no efetivo funcionamento do restaurante-escola. Também que foi explicado ao parlamentar as dificuldades encontradas na estrutura e as ações já realizadas para a conservação, apesar de ainda não poder ser utilizado completamente.

A Secretaria de Educação e Esportes do município confirmou a informação de que será aberto um processo administrativo para apurar os fatos relativos à obra de Campos Verdes. Os documentos já foram juntados e os encaminhamentos jurídicos vão ser dados nos próximos dias.

Até a última atualização do texto, a assessoria de imprensa do governo estadual não havia retornado nossos questionamentos. Quando houver retorno, o conteúdo será atualizado e a resposta incluída.

ASSISTA: Live feita por Bruno Souza no sambódromo