62% dos imóveis apresentaram irregularidades em caixas de gordura em vistorias de programa da Casan

Divulgação/Casan/Trato por Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,140 visualizações,  4 views today

Quase dois meses depois de seu início, o programa Trato por Laguna, capitaneado pela Casan, divulgou que 62% dos imóveis vistoriados neste período apresentaram irregularidades em caixas de gordura. Cerca de 760 locais foram visitados, conforme os números do projeto.

A iniciativa da Casan consiste em diagnosticar, orientar, fiscalizar e sensibilizar os moradores com o objetivo de regularizar a ligação das residências à rede de esgoto da companhia de saneamento.

De acordo com o Trato por Laguna, os problemas sanitários detectados mais comuns são relacionados às irregularidades na caixa de gordura e vão desde equipamentos lacrados a descordo da norma técnica NBR 8160/99, que regulamenta os sistemas prediais de esgoto sanitário.

“Os moradores que possuem alguma situação a ser regularizada, nós fazemos a orientação, entregamos uma ficha com o detalhamento e damos o prazo de 60 dias para que ele realize as modificações necessárias. Após essa data, nós retornamos com a equipe para ver se foi modificado”, diz o engenheiro-coordenador Rodrigo Becker, da JPR Ambiental, executora do serviço. Se a pessoa necessitar, pode ser solicitada prorrogação de prazo através de ofício.

As pias de cozinha, de churrasqueira e máquinas de lavar louça devem ter suas saídas conectadas na caixa para reter a gordura proveniente da manipulação de alimentos, bem como tem que ter tamanho correto e passar por manutenção e limpeza frequente. Quando jogada no esgoto, a gordura pode provocar entupimento das redes públicas.

“A função do programa não está relacionada à aplicação de multas ou algo relacionado. Nossa objetivo principal é orientar qual a correta ligação à rede de esgoto. Porém, caso os moradores se neguem a receber a vistoria ou tenham alguma situação mais grave e não façam a adequação, os casos serão repassados à Vigilância Sanitária que, aí sim na função de órgão fiscalizador, poderá aplicar uma notificação que pode chegar em uma multa”, esclarece Becker.

Nas vistorias são examinados todos os pontos que geram esgoto em um imóvel, como por exemplo o banheiro e as áreas de serviço. Técnicos avaliam também os pontos de coleta de águas pluviais (ralos, calhas etc), caixas e tubulações de drenagem do terreno e piscinas, que não podem estar conectados à rede pública de esgotamento sanitário.

O Trato por Laguna é executado diariamente e sua equipe é identificada com crachá, uniforme e cumpre os cuidados de prevenção demandados pela pandemia do novo coronavírus. As vistorias podem ser agendadas através do WhatsApp (48) 9 9611-7706.

Notícias relacionadas