Sesc faz últimos reparos no Cine Mussi antes de devolver prédio ao Iphan

Foto: Elvis Palma/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 272 visualizações,  12 views today

Administrador atual do Cine Teatro Mussi, o Serviço Social do Comércio (Sesc) de Laguna começou a executar obras de reparos na estrutura do prédio histórico. Os trabalhos fazem parte do processo de devolução do cinema ao Instituto do Patrimônio Histórico Nacional e Artístico (Iphan). O cineteatro completou 70 anos em dezembro.

As tratativas para a devolução do Cine Mussi ocorrem desde setembro de 2020 e foram motivadas pela readequação orçamentária do Sesc na área de cultura, um dos eixos de atuação da entidade. Os investimentos até 2022 foram reduzidos devido à pandemia do novo coronavírus.

“Contratamos uma empresa para fazer pequenos reparos e reforças para que a gente entregue o prédio nas mesmas condições que a gente pegou. A obra deve ficar pronta em dois meses”, explica o gerente do Sesc para Laguna e Tubarão, José Eduardo Fernandes. Entre as ações, são executados serviços de limpeza e pintura na área externa.

Fernandes reforça que a ideia de abrir mão da gestão do Mussi surgiu apenas em virtude da readequação do orçamento. “A cultura é um braço forte de investimento do Sesc e aqui em Laguna, a gente entende que a cidade tem uma vocação cultural e investimos muito nessa área”, observa, citando a aquisição de um prédio histórico para ser sede da Casa de Cultura e Biblioteca.

Enquanto administrado pelo Sesc, o espaço foi palco de exibição de filmes e documentários gratuitos, peças teatrais e algumas apresentações musicais. A pandemia do novo coronavírus afastou o público e até o momento, o local tem sido palco de grupos musicais que o utilizam para a transmissão de lives.

Futuro do Cine Mussi

Ainda no ano passado, a prefeitura foi apontada como uma das principais interessadas em assumir a gestão do prédio. Ao Portal, a presidente da Fundação Lagunense de Cultura (FLC), Vanere Rocha Pires, afirma que a ideia segue na pauta da autarquia cultural.

“Vamos dar continuidade [ao projeto iniciado em 2020] e estamos em contato com o Iphan, só aguardando os trâmites de entrega”, diz. A intenção é levar para o Mussi a realização de eventos organizados pela prefeitura.

Nesse contexto, o gerente do Sesc também ressalta que a devolução do espaço para o Iphan não põe fim à participação da entidade no desenvolvimento cultural da cidade. “Já tivemos conversa com a prefeitura para que a programação do Sesc se mantenha, com a mesma intensidade”, adianta, lembrando das redes culturais da entidade, voltadas ao cinema, teatro, música e público infantil, com as contações de história.

Sobre o Cine Mussi

O Cine Teatro Mussi foi inaugurado em 17 de dezembro de 1950, com sessões lotadas para a exibição do filme A valsa do imperador. O prédio foi construído em três anos, com planta arquitetônica de Wolfgang Ludwig Rau. A edificação pertencia à empresa Tecidos João Mussi S.A.

Com advento da televisão e avanço de outras tecnologias que facilitaram o acesso ao cinema em casa, o Cine Mussi foi fechado em 1992 após centenas de filmes, dezenas de peças encenadas, e muitos eventos culturais e sociais realizados. Por um tempo, o prédio abrigou órgãos da prefeitura e uma igreja evangélica.

Decadente e abandonado, em 2009 o prédio foi comprado pelo Iphan por R$ 812 mil. A restauração começou dois anos depois em obra que custou R$ 7,23 milhões aos cofres do governo federal.

Os trabalhos restauraram todo o edifício, incluindo equipamentos de segurança, acessibilidade, equipamentos de projeção e sonorização, além da construção de camarins, sanitários e área de suporte técnico. A cessão de uso com o Sesc foi assinada em dezembro de 2014, na reinauguração do espaço.

Notícias relacionadas