MP diz que acompanha investigações do caso Diego Scott, que completa quatro semanas

Arquivo familiar
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 864 visualizações,  4 views today

Há quatro semanas sem solução, o caso do desaparecimento de Diego Bastos Scott, 39 anos, é acompanhado também pelo Ministério Público catarinense, através da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Laguna, com atribuição no controle externo da atividade policial.

A ação do órgão começou em 21 de janeiro, quando o fato foi comunicado ao Ministério Público pelo advogado da família do desaparecido. Já no dia seguinte, a promotora de Justiça Raíza Alves Rezende recebeu a companheira de Diego, Alexandra Joaquim, e instaurou uma notícia de fato para acompanhar o caso.

O MP acompanha a apuração da corregedoria do 28º Batalhão da PM e a investigação da Divisão de Investigação Criminal de Laguna sobre o caso. Os trabalhos tiveram avanço na última semana com realização de buscas em campo e por helicóptero, além de busca com o auxílio do Corpo de Bombeiros com o esvaziamento de uma piscina abandonada.

“Estão em andamento dois inquéritos policiais: um da Polícia Civil, por meio da DIC de Laguna, e outro da Polícia Militar. A promotoria acompanha tendo contato diário com o delegado de polícia e também com o comando do Batalhão de Laguna. A família de Diego recebe periodicamente as informações necessárias e possíveis”, explica a promotora Raíza Alves Rezende.

Ainda segundo a assessoria do Ministério Público, o órgão tem acompanhado as investigações e atuado para viabilizar a coleta de provas e as medidas cautelares necessárias para o bom andamento das apurações. No começo do mês, o MP se manifestou favorável ao pedido de afastamento dos policiais feito pela Polícia Civil e ainda solicitou que eles fossem proibidos de viajar para fora das comarcas em que residem.

“A medida também é necessária para garantia da ordem pública, tendo em vista a repercussão social causada pela notícia, já veiculada em jornais deste Estado, devendo ser resguardada a lisura, legalidade e transparência das investigações, evitando questionamentos acerca de eventual interferência dos suspeitos, que ainda atuam em atividades administrativas internas”, disse a promotora, na manifestação do MP no processo.

A promotora entende que esse é um caso complexo e frisa que a atuação do Ministério Público visa contribuir para a celeridade e a transparência das investigações. Todos os procedimentos seguem sob sigilo e não é possível detalhar o que já foi apurado, sob pena de prejudicar o esclarecimento do caso.

Caso Diego Scott

Diego Bastos Scott, 39 anos, desapareceu no dia 15 de janeiro após uma discussão familiar em sua residência no bairro Progresso. A Polícia Militar (PM) foi acionada para apartar a situação e o homem foi colocado dentro da viatura e teria sido deixado no Laguna Internacional, mas no boletim original, constava que ele não estava no local.

Depoimentos divulgados com exclusividade pelo Portal mostraram que a versão dos policiais foi alterada, depois de as imagens da câmera de segurança de uma residência próxima terem confirmado que Scott foi posto na viatura.

Disque Denúncia

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Laguna abriu um canal de Disque Denúncia para o recebimento de informações que podem ajudar a chegar ao paradeiro de Diego Scott. Os telefones usados são o 181, da Polícia Civil, e o (48) 9 9118-3684, da DIC. Em todos os números, a garantia do anonimato é assegurada.