Laguna recebe PMs para fiscalizar cumprimento de decreto

Foto: Divulgação/PM
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 752 visualizações,  8 views today

Oito policiais militares vão reforçar o efetivo do 28º Batalhão (BPM) de Laguna. A vinda dos soldados faz parte da estratégia anunciada há dois dias pelo governo do Estado de ampliar a fiscalização dos decretos de restrição social referentes à pandemia do novo coronavírus.

Na quarta-feira, 24, após vários debates, o Estado anunciou medidas mais restritivas voltada ao funcionamento de serviços e atividades ligadas às praias, academias, casas noturnas, ônibus, entre outros. A situação da pandemia voltou a se tornar crítica com registro de alta taxa de ocupação dos leitos clínicos e de UTI no estado.

As novas medidas vão valer por quinze dias a partir desta quinta-feira, 25. Os policiais devem permanecer inicialmente pelo mesmo tempo na cidade. Ao todo, são 500 agentes chamados e 60 devem vir para a 8ª Região de Polícia Militar (RPM) de Tubarão, sendo que a maior parte do efetivo será deslocada para Imbituba, onde foram registrados excessos significativos por parte da população.

“Eles vão trabalhar exclusivamente com a fiscalização dos regramentos estabelecidos pelo decreto 1.168. São PMs recém-formados que receberão treinamento exclusivo para trabalhar com essa fiscalização”, frisa o coronel Jefer Francisco Fernandes, comandante da 8ª RPM. “Será uma ação de orientação, mas havendo a forte quebra do ordenamento e das regras estabelecidas de segurança sanitária será feita uma intervenção com notificação e até o fechamento do estabelecimento comercial ou lavratura de termo circunstanciado por descumprimento da regra”, completa.

A ideia é que seja mantido o conceito de força-tarefa única de segurança com a participação de órgãos como Vigilância Sanitária e também Guarda Municipal, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros.

De acordo com estimativa divulgada pela PM, vão ser atendidos 65 municípios de todas as regiões nesta fase da operação. O emprego da tropa poderá ser alterado de acordo com as necessidades apontadas pela área da saúde.

Notícias relacionadas