Em Laguna, motorista já paga mais de R$ 5 por litro de gasolina

Foto: André Luiz/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 540 visualizações,  4 views today

Anunciado no meio da semana, o reajuste no preço da gasolina começa a ser refletido nos valores cobrados pelos postos de combustíveis em Laguna. Levantamento realizado entre 11h e 16h30, neste sábado, 20, pelo Portal Agora Laguna mostra que o motorista já paga mais de R$ 5 pelo litro do combustível.

Desde sexta-feira, 19, abastecer o carro em Santa Catarina ficou mais caro com um aumento de preço anunciado um dia antes pela Petrobras. A estatal elevou o preço do diesel para R$ 2,58 e da gasolina para R$ 2,48, nas distribuidoras, que, por sua vez repassam o reajuste ao consumidor final.

O valor mais barato encontrado pela reportagem foi R$ 4,77 pelo litro de gasolina, cobrado pelo Paradouro SIM, em Barranceira, às margens da BR-101, em Laguna. O motorista chega a pagar mais de R$ 5 ao abastecer no Posto do Cal, na comunidade de Passagem da Barra. No estabelecimento, o litro custa R$ 5,12.

Já o preço mais baixo no diesel comum sem aditivos (ou S500, como também é denominado) pode ser achado no Paradouro SIM por R$ 3,98. O valor mais alto é R$ 4,15 cobrado no Posto Gonçalves, no Portinho.

Na cidade, foram 14 postos visitados ou consultados por telefone. O conteúdo da reportagem foi atualizado às 23h50, assim que o Portal obteve dados atualizados sobre o valor cobrado na Passagem da Barra.

Em Pescaria Brava, o Novo Posto e o Della Giustina vendem gasolina comum com o mesmo preço R$ 4,89. Já o diesel comum é mais barato no segundo, onde está custando R$ 3,99. Só há dois estabelecimentos com venda de combustível no município.

Apesar de estar em vigor, a expectativa do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sinidpetro-SC) é que o repasse seja sentido no bolso do consumidor a partir da próxima semana.

Variação do preço internacional do petróleo como justificativa

Em nota à imprensa, a Petrobras justificou o aumento associando o reajuste como forma de acompanhar o câmbio e a variação do preço internacional do petróleo, este negociado em dólar.

“O alinhamento dos preços ao mercado internacional é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros refinadores, além da Petrobras”. diz o texto, que prossegue: “Este mesmo equilíbrio competitivo é responsável pelas reduções de preços quando a oferta cresce no mercado internacional, como ocorrido ao longo de 2020”.

Na mesma semana, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que a partir do dia 1º de março não haverá mais incidência de impostos federais sobre o preço do diesel por dois meses, enquanto o governo estuda uma forma de reduzir a presença das taxas no preço final. A decisão presidencial veio horas após o reajuste adotado pela Petrobras, o que provocou mudanças no comando da estatal. No diesel, são aplicadas as taxas do PIS/Cofins e Cide.

Confira os valores em infográfico (clique para ampliar)*

CLIQUE PARA AMPLIAR

* Apenas valores do diesel comum e S10, e das gasolinas comum e aditivadas foram pesquisados.


Atualizado em 20.02.2021 às 23h50.