Divulgação/Trato por Laguna/Casan

Começaram nesta terça-feira, 26, as primeiras vistorias do programa de fiscalização e educação ambiental Trato por Laguna, anunciado pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) na última semana.

A iniciativa da Casan projeta a realização de mais de cinco mil vistorias em vários bairros da cidade, fazendo conversa com moradores e conscientizando os donos de imóveis da importância do tratamento do esgoto sanitário e a correta ligação do imóvel à rede coletora.

A fiscalização inicial teve acompanhamento de equipes da prefeitura e do projeto. O objetivo é mostrar a importância da ligação dos imóveis com a rede de esgoto e como vai acontecer o procedimento de vistoria e fiscalização das equipes com a comunidade. O esgoto não tratado pode contaminar solos e os mananciais de água causando doenças e afetar o meio ambiente.

O Trato por Laguna foi a forma que a companhia encontrou para liderar os serviços de fiscalização e diagnóstico de ligações de esgoto em imóveis localizados na região. A empresa tem ampliado o sistema de esgotamento sanitário na cidade, atingindo mais de 90% da depuração.

“As equipes do Trato por Laguna irão de casa em casa verificar se a ligação de esgoto do imóvel está regular e em caso de irregularidades informar qual o padrão correto de ligação”, explica o engenheiro-coordenador do Trato, Rodrigo Becker. A execução é feita através da empresa JPR Ambiental, do Paraná. “Apenas com a ajuda da população conseguiremos tornar a cidade um lugar mais limpo e saudável para se morar”, complementa.

As equipes atuarão com identificação (crachás, uniformes e equipamentos individuais de proteção) e qualquer dúvida sobre a ação poderá ser sanada na base do Trato por Laguna. A sede fica na avenida Senador Galotti, 800, edifício Fernando de Noronha, sala 02, no Mar Grosso. O projeto também tem canal de comunicação via WhatsApp – (48) 9 9611-7706 – e o e-mail do projeto é [email protected].