Nova Fazenda cria comissão para levar reivindicações à concessionária da BR-101

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 5,916 visualizações,  28 views today

Nesta quinta-feira, 14, moradores do bairro Nova Fazenda, na região Norte, organizaram uma reunião entre eles, autoridades de Laguna e Imbituba, e representantes da CCR ViaCosteira, empresa que administra desde agosto de 2020 o trecho Sul da BR-101. O objetivo do encontro foi apresentar formalmente à concessionária e à classe política uma lista de reivindicações da comunidade.

Cortado pela rodovia e com a praça de pedágio em sua entrada, o bairro reclama que as obras realizadas pela concessionária trouxeram alguns prejuízos à rotina da comunidade e solicitam alterações no projeto. Entre outros pontos, também pedem ‘passe livre’ para que os moradores do bairro que trabalhem em outra cidade não precisem pagar diariamente a taxa de pedágio, uma vez que a praça está inserida no território da comunidade.

A reunião foi realizada em um ponto estratégico e que se tornou símbolo das reclamações: um antigo restaurante às margens da BR-101. O estabelecimento comercial fechou as portas na mesma época em que a praça começou a ser construída. Os guard-rails colocados para a segurança dos motoristas, impediram o acesso fácil ao local, segundo expuseram os moradores durante o encontro. Sem ter como receber a clientela com facilidade, o proprietário desistiu de manter o restaurante.

Antônio Batista, membro da comissão criada pela associação de moradores para discutir o pedágio, apresentou as reivindicações da comunidade fazendo um discurso em que equiparou as obras a um relâmpago, dada sua agilidade. “Pegou a mim e a todos de surpresa, sem saber o que estava acontecendo. Tivemos nossos costumes alterados, chegando ao cúmulo de ter dia que estavam bloqueados os acessos para chegarmos em casa e tudo isso sem a mínima explicação”, desabafou.

A necessidade de comunicação, com um diálogo mais sólido entre a empresa e a comunidade, incluindo também os moradores de Itapirubá, foi o principal pedido apresentado no encontro.

Batista também elenca que o bairro pede ainda que haja:

  • Trânsito livre para moradores fixos e flutuantes, que são os proprietários de casas de veraneio;
  • Despoluição e tratamento da água despejada na lagoa e obviamente, que ocorra drenagem pluvial;
  • Construção de abrigos de passageiros de ônibus e passarelas;
  • Uso do sistema de segurança da praça como suporte à segurança do bairro;
  • Responsabilidade social, apresentando pleito para que a empresa busque mão de obra no próprio bairro com um percentual de 60% dos empregos diretos formalizados com moradores do local e investimento em ações que beneficiem a região a partir do bairro, como em cursos profissionalizantes.
Foto: Jorge Anastasiadis/Agora Laguna

A reunião ocorreu de forma pacífica e encerrou com o compromisso de um novo encontro, mais técnico, entre a associação de moradores e a empresa, com a pauta de melhorias que serão apresentadas à direção da CCR, para que faça avaliação das solicitações. Os engenheiros da concessionária tiraram dúvidas dos residentes de Nova Fazenda quanto às obras.

“Essa reunião serviu de ponte entre a comunidade, CCR e prefeitura, para que a gente possa organizar e participar de tudo. Ficou definido que iremos montar um grupo de comunicação entre essas três partes e acreditamos que vamos ter uma resposta favorável”, avalia o representante.

A avaliação positiva também é compartilhada pela presidente interina da associação de moradores, Maria Leontina Bassols. “Os representantes da CCR souberam explicar as situações que estavam acontecendo. Foi um contato interessante, já que os moradores estavam alheios ao que estava ocorrendo”, opina.

“Eles podem sair [da reunião] com garantia de que a passarela vai ser construída nas imediações, assim como também estamos lutando e vamos conseguir certamente em parceria com a CCR, justificando o investimento da empresa, fazer a construção dos abrigos de passageiros, para que eles possam ter segurança”, diz o prefeito de Laguna, Samir Ahmad (PSL).

Em nota (veja íntegra abaixo), a CCR afirma que “mantém o diálogo sempre aberto” e “aguardará o novo contato para que possa fornecer todas as informações necessárias para a população”.

Além de Laguna, as praças de pedágio vão ser construídas em Tubarão (no limite com Treze de Maio e Jaguaruna), Araranguá (limite com Maracajá) e São João do Sul (limite com Passo de Torres). Ao todo, são 220 quilômetros de rodovia entre Paulo Lopes e Passo de Torres.

Nota da CCR

Desde que iniciou seus trabalhos, após a assinatura do contrato com a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), em agosto do ano passado, a CCR ViaCosteira trabalha sempre prezando pela transparência, mantendo o diálogo aberto com lideranças e comunidade.

Na manhã da última quinta (14), a empresa recebeu lideranças e representantes da comunidade Nova Fazenda, de Laguna, para apresentar o projeto da construção da Praça de Pedágio da região.

Na oportunidade, o engenheiro da empresa ouviu os presentes e sanou dúvidas sobre o projeto.

Como o programa de concessão prevê vários investimentos para a região de Laguna, a comunidade solicitará mais detalhes sobre as obras previstas.

A concessionária mantém o diálogo sempre aberto e aguardará o novo contato para que possa fornecer todas as informações necessárias para a população.

A empresa lembra que os trabalhos iniciais já estão gerando 1.100 novos empregos e os investimentos na rodovia já ultrapassam os R$ 200 mi.

Importante destacar que, em fevereiro, os usuários terão à sua disposição o Atendimento ao Usuário (SAU) 24 horas por dia, através de serviços médico e mecânico, bem como inspeção permanente de tráfego. Além disso, também já estarão disponíveis os canais de comunicação da CCR ViaCosteira.