Idoso é colocado em prisão domiciliar por precisar de transplante em Laguna

Divulgação

 1,028 visualizações

Preso por tráfico de drogas, um homem de 63 anos foi colocado em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica na última semana, em Laguna. A decisão da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) de Santa Catarina atendeu a um pedido de habeas corpus feito pela defesa do detento.

A argumentação foi que ele corre o risco de morte no cárcere por precisar de um transplante de fígado e não conseguir fazer exames em razão da burocracia da unidade prisional. O entendimento do colegiado é que o idoso faz parte do grupo de risco pela idade e doença hepática (neoplasia maligna do fígado e das vias biliares intra-hepáticas, além da hepatopatia viral crônica), situação que o torna vulnerável ao coronavírus.

Os advogados também alegaram que o crime cometido não fez uso de violência, invocando recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), e pelo risco de morte. O pedido de conversão da prisão para o regime domiciliar tinha sido negado pela Comarca de Laguna, então os advogados recorreram.

“Além de ser acusado de crime praticado sem violência (tráfico de drogas), o paciente, como já dito, padece de comorbidades graves, além de ser idoso, o que o insere no grupo de risco da Covid-19, tornando-o mais vulnerável caso seja contaminado”, registrou o desembargador Antônio Zoldan da Veiga, em seu voto. A sessão foi presidida pela desembargadora Cínthia Beatriz da Silva Bittencourt Schaefer e dela também participou o desembargador Luiz Cesar Schweitzer. A decisão foi unânime.

Notícias relacionadas