Divulgação/Secom-SC/SES

Após quase dois meses classificada em nível gravíssimo, a região da Amurel, composta por 18 cidades, incluindo Laguna e Pescaria Brava, voltou a ser considerada como de risco grave. Além desta região, o Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Extremo Oeste, Extremo Sul e a Serra voltaram a aparecer com a cor laranja no mapa.

O mapa mostra que as regiões de Xanxerê, Grande Florianópolis, Médio Vale do Itajaí e Oeste sofreram agravamentos nos índices e foram classificadas como em nível gravíssimo (cor vermelha).

“Na matriz dessa semana observamos que o cálculo RT, que é o índice de transmissibilidade, sofreu redução”, explicou a epidemiologista Maria Cristina Willemann, a redução do número de casos foi o principal motivo para a melhoria do cenário.

A matriz de risco potencial passou a considerar a taxa de ocupação de leitos UTI Adulto reservados para coronavírus no seu cálculo, na dimensão que acompanha a capacidade de atenção.

A mudança, anunciada no dia anterior à divulgação, é motivada pela ação desencadeada ao se observar aumento nas taxas de ocupação que está principalmente voltada ao empenho para a reabilitação de leitos disponibilizados nos hospitais catarinenses que foram desativados ao longo do tempo.

Segundo o governo do Estado, neste momento, os outros leitos de UTI podem ser ocupados por outras razões, como a realização de cirurgias que se tornaram tempo-sensíveis; e atualmente, a maioria dos hospitais já tem um processo de trabalho organizado para reorganização dos espaços que devem ser exclusivos para atendimento de pessoas infectadas ou não, sendo que os leitos vizinhos a uma pessoa positiva ficam naturalmente reservados.