Livro coloca inauguração da Ponte Anita Garibaldi ao lado de grandes coberturas jornalísticas de SC

 820 visualizações,  4 views today

Lançado nesta semana em Florianópolis, capital do estado, o livro “Acaert 40 anos – A memória de quem viveu a história”, resgata quatro décadas de cobertura jornalística dos veículos de comunicação filiados à Associação Catarinense de Emissoras de Rádio de Televisão (Acaert). Uma destas coberturas destacadas na obra é a inauguração da Ponte Anita Garibaldi, em Laguna, ocorrida no ano de 2015.

A obra foi escrita pelo jornalista Carlos Stegemann e lista inúmeras coberturas feitas desde 1980, como a queda do avião da Transbrasil em Florianópolis, as enchentes no Vale do Itajaí, as conquistas de Santa Catarina no futebol, tênis e outros esportes, tragédias como a explosão de uma mina de carvão em Urussanga e o acidente com o voo da Chapecoense, e a luta pela duplicação da BR-101, onde a ponte de Laguna é parte integrante.

Para falar da cobertura em Laguna, Stegemann recorreu ao radialista João Batista Cruz, que cobriu o fato pela Rádio Difusora, quando a emissora ainda estava no AM. “Tínhamos cinco mil pessoas, muito emocionadas. O frio, a chuva e as manifestações políticas não turvaram a cena”, recordou Cruz, descrito como um dos profissionais de imprensa mais emocionados no ato.

Batista Cruz tem 55 anos de atuação no rádio de Laguna com passagens também pela extinta Garibaldi e por emissoras de Tubarão. A Ponte Anita Garibaldi foi inaugurada em 15 de julho de 2015, após três anos de construção e quase dez anos depois do seu projeto ter sido anunciado.

A solenidade de inauguração contou com a presença da ex-presidente Dilma Rousseff (PT, 2011-2016) e atraiu repórteres das emissoras catarinenses e nacionais para cobrir o evento. A ponte é a única estaiada em curva no Sul do Brasil.

Editoria de Arte/Agora Laguna

Quarenta anos

O livro escrito por Stegemann traz os principais fatos ocorridos em Santa Catarina numa linha do tempo. A ideia foi resgatar de maneira curta a história do acontecimento, acrescentando o depoimento de quem vivenciou o fato, com um recorte biográfico da trajetória dessas pessoas na comunicação. Foram coletados 69 relatos de repórteres, locutores e apresentadores das emissoras de rádio e televisão catarinenses.

O maior desafio para o autor foi buscar depoimentos de profissionais que atuaram nas coberturas mais antigas, ocorridas há cerca de 40 anos. A obra era para ter sido lançada há cinco anos e o projeto foi resgatado para comemorar as quatro décadas. Na visão do escritor, o livro chega ao grande público atualizado, por comentar a cobertura da pandemia do novo coronavírus e do pedido de impeachment de Carlos Moisés (PSL), em outubro.

“Quando relembraram essas experiências, após alguns anos do ocorrido, os profissionais tiveram percepções muito especiais, que demonstram a carga emocional que enfrentaram à época da cobertura”, sustenta o autor. O livro pode ser baixado virtualmente, aqui.

Fundada em 1980, a Acaert trabalha com foco na profissionalização e fortalecimento do segmento das emissoras de rádio e TV no estado, visando a valorização da programação regional, incentivo ao crescimento do mercado, valorização das pequenas emissoras, além da preocupação com as soluções dos problemas comunitários.

A associação também difunde notícias através de uma rede formada por seus veículos filiados, incluindo a Difusora de Laguna e também a Rádio Mix Sul. “É uma entidade que é exemplo para o Brasil em termos de associativismo. Uma associação que tem 100% do seu segmento associado, por si só, já é diferenciada”, frisa o radialista Silvano Silva, atual presidente da Acaert.

Notícias relacionadas