Unidade de triagem no bairro Esperança – Foto: Rafael Bicca/Colaboração para Agora Laguna

Oito meses atrás Laguna confirmava o primeiro caso de coronavírus entrando para a estatística de municípios com pacientes contaminados com Covid-19, na região da Amurel, formada por 18 cidades. Mais de 240 dias depois, a cidade juliana tem chamado atenção devido ao aumento de casos e também de óbitos, que cresceu exponencialmente nas últimas semanas.

De 31 de outubro a 22 de novembro, data do último boletim, nove moradores de Laguna morreram em decorrência do novo coronavírus, segundo a prefeitura:

  • 5 de novembro – homem, 73 anos, morador de Cabeçuda
  • 11 de novembro – homem, 75 anos, morador do Magalhães
  • 12 de novembro – homem, 68 anos, morador do Mar Grosso
  • 13 de novembro – homem, 71 anos, morador do Portinho
  • 15 de novembro – mulher, 78 anos, moradora de Cabeçuda
  • 18 de novembro – homem, 73 anos, morador do Magalhães
  • 19 de novembro – homem, 61 anos, morador do Progresso
  • 20 de novembro – mulher, 80 anos, moradora do Magalhães
  • 22 de novembro – homem, 81 anos, morador da Passagem da Barra

Esse crescimento vem sendo acompanhado desde meados do segundo semestre de 2020, quando a cidade começou a fazer a aplicação de testes rápidos, adquiridos em parceria com cidades da região e ganhos através de doações empresariais. Três meses atrás, em 23 de agosto, o município tinha apenas 548 casos confirmados (167 ativos e 342 recuperados) e nove óbitos.

  • Mortes registradas por mês em Laguna: Junho (1), Julho (4), Agosto (5), Setembro (3), Outubro (4), e Novembro (9).

O município chegou a apresentar estabilidade nos casos entre setembro e outubro, mas voltou a ver os números subir agora em novembro, de forma rápida. Laguna tinha até 31 de outubro, 1.261 casos confirmados (totais desde março) e atualmente são 1.642. O crescimento foi de 381 casos, ou 30,2%, em menos de um mês.

“Estamos alertando as unidades básicas de saúde, a monitorar mais de perto os contatos diretos e pacientes, com as orientações necessárias, e a realização dos testes rápidos nos contatos. O centro de triagem aumentou a demanda e a quantidade de pacientes que realizam o PCR [teste com coleta de amostra nasal], estão vindo muitos com os resultados positivos. Temos que ter agilidade no isolamento desses pacientes, e conseguiremos com o trabalho em conjunto da atenção primária”, diz a secretária de Saúde, Valéria Olivier.

Na última semana, a região da Amurel, que é composta por 18 cidades, voltou a ser classificada pelo Governo de Santa Catarina como de nível gravíssimo. Esse é o pior índice de avaliação na matriz de risco do governo, que mede o avanço da Covid-19 em regiões de Saúde. As regiões do Alto Uruguai e Xanxerê também estão no mesmo patamar.

O número de pacientes suspeitos, como são chamados aqueles que aguardam por resultado mais aprofundado de teste para saber estão ou não contaminados com a Covid-19, também cresceu e ultrapassou a barreira dos 200 duas semanas atrás. Atualmente são 189 suspeitos de acordo com o boletim epidemiológico da última segunda-feira, 23.

O desrespeito às medidas sanitária é apontado com o principal motivo para o aumento de casos na cidade. Devido à classificação gravíssima, Laguna editou decreto restringindo algumas atividades e proibindo outras, como a execução de música ao vivo em estabelecimentos fechados, como lanchonetes e bares.

A prefeitura também já anunciou o cancelamento das festas de fim de ano, incluindo os eventos de Rèveillon, que ocorriam no  Mar Grosso e no Farol, e atraíam centenas de turistas e banhistas para o município. O governo municipal também confirmou que fechará parte da avenida Maurílio Kfouri (beira-mar) para evitar a concentração de carros com sistema de som instalado. Eventos que tradicionalmente ocorriam nesse época do ano, como o Moto Laguna, estão cancelados até 31 de dezembro, data em que encerra a atual gestão.