Glorinha, na comemoração dos seus 80 anos, em agosto. Foto cedida: @aliciamarquesq

Alegria, samba e muita vontade de viver. É desta forma que a família, os amigos, músicos e admiradores vão lembrar de Maria da Glória Barreto Pegorara, a Glorinha, que por mais de 30 anos foi a voz do samba em Laguna – e continuou, já que mesmo após ter se aposentado dos microfones, não perdia uma roda, sempre cantando os clássicos como os de Nelson Gonçalves.

No último dia de pré-Carnaval em fevereiro deste ano, Glorinha fez questão de frisar que não se abalava pela idade nem por problemas de saúde: “O médico me disse que a música é a melhor terapia”. Nas redes sociais, muitos daqueles que conviveram com a rainha do samba de Laguna relembraram momentos ao seu lado e falaram da tristeza em se despedir.

“Nos últimos dias me resgatasse a fé e me mostrasse que a vida é uma festa sagrada. Me ensinaste o que é amor verdadeiro, o sentido de família, por pequenos gestos, dos almoços deliciosos às ligações surpresas. És a minha estrela guia onde eu for, vim para cuidar de ti até o momento que escolheste cantar em dimensões mais sublimes que esse planeta doido”, disse o neto Guilherme, em uma rede social.

Glorinha será o próximo tema do samba enredo da Mocidade Independente, escola que por vários anos defendeu. Guilherme prepara também um documentário, mostrando as fases da criação do enredo até sua apresentação. A produção começou no início desse ano, inspirada pelos 80 anos da sambista, comemorados em agosto.

“A morte dela deixa um vazio no Carnaval lagunense e nas rodas de samba. Sem ela, morre um pouco a alegria musical”, declarou o presidente da liga das escolas de Laguna, Edson Roberto. “O samba está em silêncio! É um lamento só”, afirmou a presidente da Mocidade, Fátima Marçal.

Maria da Glória Barreto Pegorara foi sepultada na manhã deste sábado, 21, no cemitério da Irmandade de Santo Antônio dos Anjos. Ela foi a 25ª vítima do coronavírus em Laguna.

Veja a repercussão da morte de Glorinha Pegorara

“Glorinha, como era chamada carinhosamente, por todos é considerada a rainha do samba Lagunense, deixará saudade imensa. A morte dela deixa um vazio no Carnaval lagunense e nas rodas de samba, sem ela morre um pouco a alegria musical. Em nome da Liesla deixamos nossos sentimentos a toda à família” – Edson Roberto, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de Laguna.

“O samba de Laguna está de Luto. Dona Glorinha, a melhor cantora de samba de Laguna. Descanse em paz!” – Diego Westphal, músico

“O samba está em silêncio! É um lamento só! Que deus conforte a família e nós que estamos de coração muito partido! Descanse em paz Glorinha! Nossa intérprete de Samba! a cidade e a cultura perdem muito com a tua partida!” – Fátima Regina Marçal, presidente da Mocidade Independente

“A música e principalmente o samba lagunense choram uma perda imensurável. Grande Glorinha reina no céu com sua voz única e interpretação inconfundível. O Juízo se solidariza com todos amigos e familiares” – integrantes da banda Juízo

“O samba de Laguna chora. Adeus Glorinha!” – Escola de samba Vila Isabel, em rede social

“Muito triste pela perda da minha amiga Glorinha. O samba nunca mais será o mesmo em Laguna. Rainha do samba, tu vais fazer muita falta!” – Maricélia Brito, líder do grupo de samba Boca da Noite

“Uma grande perda para nós todos ela emocionou noites e noites com seu samba cadenciado ímpar fizemos dupla nas casas noturnas vá em paz minha amiga agora é mais uma estrela a brilhar no céu até breve Glorinha meus sinceros sentimentos extensivo à todos familiares vá em paz guerreira” – Silvério Salvador de Jesus, artista lagunense

Queria ao menos um último samba, um último abraço, uma última palavra de sabedoria de como fazer do Samba uma filosofia de vida. Queria um último uma última vez a senhora olhando e apontando pra mim, quando cantava: “Nas platinelas do pandeiro coloquei surdina”. Na verdade eu tive essa última vez, mas não sabia que seria a última, pra te admirar e me orgulhar de ter a bênção da senhora como músico do Samba. A senhora foi e sempre será uma das se não a maior referência que tive no samba, desde que vi a senhora cantar a primeira vez ainda criança. Esbanjei alegria quando a primeira vez que fui convidado a acompanham a no regional da Glorinha e me encantei sempre ao vê-la como voz da minha escola obtendo a oportunidade de acompanhar a senhora em uma roda de samba. Obrigado rainha do Samba, minha rainha, por permitir que eu vivesse o mundo do Samba perto da senhora e aprender tanto sobre a música é sobre a vida. Descanse em paz Rainha Glorinha” – Gabriel Marçal, mestre de bateria da Mocidade

“Luto no samba! Maria da Glória Barreto Pegorara, considerada rainha do samba de Laguna, deixará uma saudade imensa. A cantora era uma referência para várias gerações, símbolo de alegria e, que encantava e esbanjava simpatia. A morte dessa artista, deixa uma lacuna na música brasileira sem precedentes. Com ela, morre um pouco da alegria e da descontração musical. Sua irreverência era sua maior arma. Glorinha com o microfone na mão estava de fato fazendo o que gostava. A Família Brinca Quem Pode deixa aqui seus sentimentos a Família e Amigos dessa grande sambista” – Escola Brinca Quem Pode, em rede social

“A cidade perde a maior exponente do samba. Apesar de ter sido radicada na Mocidade, era ícone para todo sambista e gerações mais novas. Peço a Deus que conforte a família e que a memória esteja sempre presente na cidade” – Mirella Honorato, presidente da Fundação Lagunense de Cultura

“Fizeste nossa alegria por varias décadas minha rainha, foste, sem dúvida, a grande Diva dos nossos momentos de descontração, paz, e lazer. Diante do microfone, com tua pequena estatura, te tornavas gigante por tua simplicidade, humildade e carisma. Cantavas o amor em cada nota, em cada gesto e, este canto de alegria era levado pelos ventos sul ou nordeste aos quatro cantos da cidade que te ama e que hoje chora tua partida. Glorinha, serás lembrada sempre, tua arte de cantar e encantar não será esquecida jamais. Obrigado minha querida por todos os momentos que encheste meu coração de alegria com o teu cantar, com o teu tímido jeito de bailar, com o teu modo sereno de ser e tua candura ao falar. Sem tu, Glorinha, nossas serestas não terão o mesmo brilho, as rodas de samba perdem um pouco do gingado. Nesta melodia de despedida, as notas se misturam, o maestro perde a batuta, o tambor rufa, a cuíca não mais geme, o cavaquinho desafina, os outros instrumentos emudecem e se houve apenas, um soluçar de dor de quem te viu e te amou. Vai com Deus querida amiga, que sejas recebida pelos anjos e arcanjos com uma linda serenata de amor” – Jairo Barcelos, teatrólogo

“Glória és forte! Lutaste até o fim, mas a Terra limita o brilho de uma estrela. Que tua luz seja nossa inspiração diária para a nossa alegria de viver e a força para acreditarmos que sempre é possível. Minha Amada Vó Glorinha nos deixaste para brilhar nos palcos da eternidade. Temos um filme e um desfile para concluir e vai ser uma missão honrada estrearmos no Cine Mussi. Glória ao teu nome, Glória ao teu cantar, Glória a tua força de mulher, artista do povo, viveste cada acorde e amanhecer com sorriso e vontade. Ficamos com o teu anel de bamba que me deste o merecimento, na certeza de que teu samba nunca vai morrer. Nos últimos dias me resgatasse a fé e me mostrasse que a vida é uma festa sagrada. Me ensinaste o que é amor verdadeiro, o sentido de família, por pequenos gestos, dos almoços deliciosos às ligações surpresas. És a minha estrela guia onde eu for, vim para cuidar de ti até o momento que escolheste cantar em dimensões mais sublimes que esse planeta doido. Queria sim mais um samba, mais um abraço, mais um almoço… mas te agradeço por tudo, sou o maior privilegiado de te conhecer e amar essa mulher incrível e sabia que és. É um vazio profundo, eterno, mas que será preenchido com teu maior legado, amor e arte. Viva Glorinha, Maria da Glória, rainha do samba, da Laguna, obra-prima da vida, amor eterno” – Guilherme Pegorara, neto