Divulgação/PMA

Encerrou nesta semana o período de defeso do camarão-rosa e camarão-branco e com isso a pesca da iguaria volta a ser liberada até o dia 15 de julho do próximo ano. Esses meses em que a captura do camarão fica proibida serva para permitir que a espécie possa se reproduzir nas lagoas do complexo Sul.

Durante esse período, quem é flagrado pescando fica sujeito a detenção de um a três anos e à sanções administrativas como apreensão de embarcação, pescado, redes e veículos usados na prática.

Mesmo assim, não foram poucas as vezes em que os policiais ambientais apreenderam pescados e redes. Mais de 160 quilos de pescado foram recolhidos com pescadores que insistiram na pesca. Nove deles foram autuados por infringirem o período do defeso.

“Só de gerivais [arte de pesca] foram mais de 160 apreendidos, teve cinco embarcações, quase 500 aviõezinhos apreendidos, mais de 20 tarrafas”, enumera o comandante da Polícia Ambiental de Laguna, capitão Fernando Magoga.

De acordo com o oficial, a corporação vem trabalhando com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para detectar se os pescadores autuados recebiam o benefício do seguro-defeso, que é concedido durante esse período, para que o repasse seja cortado.

Todos os anos, o defeso é válido nas lagoas de Mirim, Imaruí, Santo Antônio, Santa Marta, Garopaba do Sul, Camacho, Noca, Ribeirão Pequeno e Manteiga. “A gente agradece a colaboração dos pescadores que respeitaram esse período. Foram fundamentais para o êxito do cumprimento do defeso”, finaliza Magoga.