Divulgação/Agora Laguna

O ex-policial lagunense, Aílson José Paulino, de 56 anos, foi condenado à pena de 21 anos e quatro meses de prisão pelo crime de feminicídio registrado em Tubarão, em 12 de maio de 2019. O militar aposentado atirou duas vezes contra a ex-companheira. Adriana Joaquim, 45, passava o Dia das Mães com o filho, em um apartamento no bairro Oficinas, quando foi morta.

O jovem assistiu à cena e contou à Polícia Militar (PM), na época, que escutou o homem chamando pela mãe e que ela se recusou a abrir a porta do apartamento para atendê-lo. Com a recusa, o suspeito desferiu golpes e arrombou a porta, disparando em direção à cabeça de Adriana. As guarnições da polícia e do Corpo de Bombeiros, confirmaram os sinais de arrombamento e encontraram a vítima caída atrás da porta, com perfuração na cabeça. Os disparos causaram traumatismo crânio-encefálico, motivo apontado como a causa da morte.

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri, da Comarca de Tubarão, reconheceu três qualificadoras do homicídio: motivo torpe, recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio. O fato de o crime ter sido feito na presença do filho da vítima levou ao acréscimo na pena, que deve ser cumprida em regime inicial fechado. A decisão pode ser recorrida.