Foto: Nilson Coelho/R3 Animal

Mais dez pinguins voltaram para o mar na manhã desta quarta-feira, 14, após um processo de reabilitação promovido pelo Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS). A devolução ao ambiente foi feita pela Associação R3 Animal, na praia do Moçambique, em Florianópolis. A entidade é uma das parceiras do PMP-BS.

Os dez animais vieram de Laguna (três foram resgatados pela equipe da Udesc), da região de São Francisco do Sul (três foram resgatados pela Univille), além de mais quatro resgatadas pelo Instituto Australis e pela Univali.

Segundo a R3, este é o terceiro grupo a ser liberado este ano desde meados de outono, início da temporada anual de migração dos pinguins desde a Patagônia, na Argentina. As aves foram resgatadas entre junho e agosto e foram reabilitadas no Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM/R3Animal), em Florianópolis.

Os pinguins que encalham nas praias, em sua grande maioria, são animais juvenis, estão em seu primeiro ano de vida e encaram pela primeira vez a longa viagem de migração.

A falta de experiência dos jovens pode causar dificuldade em se alimentar, muitos se perdem dos bandos e ficam debilitados, encalhando nas praias. Há também aqueles que interagem com petrechos de pesca. Mesmo não sendo fauna alvo de pescarias eles podem ser capturados incidentalmente. É a chamada captura bycatch, ou seja, não intencional.