Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom-SC

A desativação do emissário submarino da Bacia A do sistema de esgoto do Mar Grosso foi oficialmente concluída nesta sexta-feira, 23, com um ato oficial do Governo de Santa Catarina e da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), realizado no bairro Vila Vitória. A entrega da obra ocorre a poucos dias de completar um ano de seu início oficial.

Marcado de última hora, o ato atraiu para a cidade juliana o governador Carlos Moisés (PSL), a deputada estadual Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT), e a diretora-presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, e o gerente da Caixa de Laguna, Tommy da Silva. Autoridades militares como o comandante da 8ª Região Policial Militar, Jefer Francisco Fernandes, e do 28º Batalhão de Laguna, Rogério Bartolamei, acompanharam o ato.

A obra era prometida desde 2018, mas só foi começar em outubro de 2019 e sofreu com alguns atrasos operacionais e com as restrições geradas pela pandemia, que paralisaram obras no estado durante algumas semanas.

“Isso representa a importância que a cidade tem para o novo governo, o formato que gestão técnico e o cuidado que a Casan tem com a entrega de resultados. Nossa gestão trabalha em cima de indicadores de avaliação. Fazemos uma gestão por resultados”, afirmou o governador, em entrevista ao Portal Agora Laguna, com exclusividade.

Na avaliação da companhia de abastecimento, a entrega da obra traz um alívio às críticas que a empresa vinha sofrendo nos últimos anos com entupimentos no emissário submarino – erguido em 1986 – que provocavam extravasamentos dos dejetos em vias públicas. “Traz mais segurança para a população e qualidade de vida e até para a questão econômica do município. Hoje, a gente traz toda essa coleta de esgoto direto para a estação de tratamento. 70% da população será beneficiada e a gente tem mais por fazer”, explica Roberta Maas.

A nova rede tem 2.718 metros de extensão, com 315 milímetros de diâmetro formados por tubos de polietileno. Ela inicia na rua Carazinho (próximo ao Laguna Praia Clube), segue pela René Rollin e alcança a avenida Aderson Pinho Remor (Molhes), e deste ponto em diante segue pela Padre Manoel João, Toledo Pizza, São Pedro, José Vitorino de Lima, Travessa Zeferino Castro e alcança a rua Universal, onde fica a ETE da Vila Vitória.

De acordo com o governo, esse tipo de tubulação amplia a segurança da operação de coleta e tratamento, e deixa o emissário submarino como um sistema alternativo. O investimento total foi de R$ 2,1 milhões, financiados em 90% pela Caixa e com contrapartida de 10% dos recursos da Casan.

Trato por Laguna 

Ainda no evento, a diretora-presidente da companhia informou que a Casan tem mais planos para a cidade juliana e anunciou a emissão da licença de operação da ETE da Vila Vitória.

De acordo com Roberta, vão ser lançados editais para uma nova bacia de esgotamento e do programa Trato por Laguna, uma evolução do Se Liga na Rede, que visa focar na fiscalização, vistoria e educação ambiental, que vai dialogar com a população.”