Todos os candidatos à prefeitura de Laguna voltaram a ficar frente a frente em um debate eleitoral na noite desta terça-feira, 13, na UnisulTV, em Tubarão. Esse foi o segundo encontro dos seis concorrentes na eleição 2020. O programa começou pontualmente às 21h e durou cerca de 2h30.

Participaram do debate: Evandro Farias (PL), Gilberto Sousa (PSC), Mauro Candemil (MDB), Paulinho da Magapavi (Solidariedade), Preto Crippa (DEM) e Samir do Kilojão (PSL). O encontro é transmitido ao vivo em pool pela emissora, pelo Facebook do Portal Agora Laguna e da Rádio Difusora de Laguna e pela revista digital Única.

As regras estipuladas pela emissora orientaram os candidatos a ficarem de máscara, devido à pandemia do coronavírus, durante todo o programa, podendo retirá-la apenas na hora de falar. A produção também limitou o acesso ao estúdio e o número de assessores no prédio.

Os candidatos apresentaram propostas para setores como saúde, infraestrutura, educação, entre outros. A atração teve tradução simultânea em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Debate tem cinco blocos

  • 1º bloco: candidatos fazem apresentação
  • 2º bloco: candidatos respondem a perguntas elaboradas por jornalistas da TV
  • 3º e 4º blocos: candidatos fazem perguntas uns para os outros com tema livre
  • 5º bloco: considerações finais.

Fortalecimento da democracia

Para os seis candidatos que participaram do encontro, o debate serviu para fortalecer a democracia. “Esses debates são importantes para a ativação da democracia, para que a população lagunense conheça os projetos. Saio feliz pois consegui expor algumas de nossas propostas”, avaliou Farias.

“Fizemos um grande debate e agradecemos a todos que acompanharam, pois foi interessantíssimo”, disse Sousa. “Foi excelente, é o exercício da democracia e da cidadania”, comentou Candemil, em entrevista à TV. “Cada candidato pôde expôr suas ideias e convicções, acho que foi muito interessante”, frisou Paulinho.

“Foi um encontro bacana, democrático e importante, onde a gente pode falar e ser ouvido […] E a importância é que a população, dentro da democracia e isonomia necessária, passa a ter acesso às informações”, aponta Crippa. “Exercemos a democracia. Colocamos nossas ideias, discutimos com educação e com respeito”, conclui Samir.