Foto: Elvis Palma

A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Laguna completa nesta semana seu primeiro mês de atividades. O setor foi oficialmente inaugurado em 13 de agosto e entrou em operação quatro dias depois, chegando à marca de 60% de ocupação dos leitos nesta terça-feira, 15.

O desafio do Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos no momento é conquistar o credenciamento junto ao Ministério da Saúde (MS) para o recebimento de recursos para custear o serviço.

A unidade encaminhou um segundo pedido de habilitação para análise do governo federal, já que a primeira solicitação foi negada pelo fato de o requerimento ter sido realizado com a UTI ainda sem paciente, em uma tentativa de agilizar o processo. Os leitos do hospital só constaram no sistema de regulação em 17 de agosto com a primeira paciente dando entrada naquele mesmo dia.

Portal Agora Laguna apurou com a administração da casa hospitalar que para ter credenciamento oficializado pelo MS, o governo avalia critérios que vão desde ao nível de gravidade da incidência de coronavírus na região e a taxa de ocupação dos leitos. Na última semana, o Governo de Santa Catarina classificou a região de Laguna como gravíssima, e em paralelo, o hospital alcançou 90% de ocupação, diminuído com as altas de pacientes.

“O hospital está mantendo a UTI com recursos próprios, e a direção e administração sempre informaram que os recursos próprios não são suficientes. Estamos com um déficit por causa da UTI”, diz a administradora Cheyenne de Andrade Leandro. A situação deixa a direção do hospital preocupada. Para manter o setor, são necessários R$ 450 mil mensais. “Precisamos que seja habilitada em caráter emergencial”, suplica.

O setor intensivo conta com dez leitos e atende exclusivamente a pacientes que tenham suspeita ou contaminação confirmada por coronavírus. A ideia é que o governo estadual subsidie com recursos próprios e federais a UTI por seis meses e depois, o hospital arque com a manutenção do setor. Há a promessa de que a Câmara de Vereadores de Laguna destinará cerca de R$ 1,8 milhão em emendas impositivas para oxigenar o caixa da casa hospitalar e garantir a continuidade do serviço por mais alguns meses em 2021.

Nesta terça-feira, os pacientes internados, segundo o hospital, são homens e mulheres das cidades de Braço do Norte e Laguna e têm entre 50 e 80 anos de idade.

Divulgação/HCSBJP/Agora Laguna