Leandro, com a filha Lorena, 1 ano, e a esposa Lindsy Alves, 24 anos. Foto: Arquivo pessoal

Leandro David tem 33 anos de idade e no começo da tarde de sexta-feira, 11, estava no Centro de Laguna, sem imaginar que iria viver a experiência de ser herói por um dia. Ao ouvir os gritos de pedido de ajuda que avisavam de uma mulher que estava se afogando na lagoa Santo Antônio dos Anjos, nas docas do Centro Histórico, ele não pensou duas vezes.

“Neste momento a emoção falou mais alto que a razão, não pensei duas vezes em pular na água e tentar salvá-la, foi um momento muito tenso pois tinha muito lodo no local dificultando o resgate, mas graças a Deus, com ajuda de algumas pessoas que estavam no local conseguimos retirá-la com vida”.

Representante de uma empresa de proteção veicular, Leandro não se importou com os riscos ou possíveis perdas materiais – o telefone celular, usado em seu serviço cotidiano não resistiu à água.

“Nada se compara com a vida de outra pessoa. Mesmo tendo perdido meu celular que eu uso para trabalhar, não me arrependo do que fiz, pois perdas materiais podem ser recuperadas, e a vida de uma pessoa não”, reconhece.

Ainda não há informações confirmadas do que pode ter levado a mulher a cair na lagoa. Ela foi resgatada e levada ao Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos com sinais vitais normais.