Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Anunciado nesta semana, o plano para a volta às aulas presenciais da rede estadual em Santa Catarina projeta a possibilidade de retornar em 12 de outubro, data prevista no último decreto assinado pelo governo estadual. A intenção é que esse retorno ocorra conforme análise da evolução da pandemia no estado e que seja de maneira optativa, iniciando por alunos do terceiro ano do ensino médio e por estudantes com maior dificuldade em assimilar o conteúdo letivo.

O conjunto de normativas tem oito diretrizes de ações operacionais para o retorno das aulas presenciais, o que incluem medidas sanitárias, pedagógicas, de transporte, de alimentação, de gestão de pessoas e de informação e comunicação. O plano prevê metodologias para o treinamento, capacitação e finanças.

“Vamos orientar a construção dos planos de contingência da Educação nos municípios, a fim de cumprirmos o protocolo para cada escola. Organizamos a capacitação com a Defesa Civil e a Secretaria de Estado da Saúde para as 16 regiões de saúde, para escolas de todas as redes de ensino”, informou o secretário Natalino Uggioni.

Ainda de acordo com o gestor, o retorno é mais direcionado às atividades de reforço pedagógico, e não com as aulas normais como ocorriam no período antes da pandemia. “As aulas só retornarão quando a Secretaria de Saúde confirmar que as condições sanitárias no estado em relação à Covid permitam a retomada com segurança”, frisa Uggioni.

A partir de agora, o governo vai começar a prepara e capacitar profissionais para auxiliar na elaboração dos planos de contingência das escolas. A meta é preparar profissionais e a estrutura física da escola para que o retorno ocorra de forma segura, quando houver condições sanitárias e epidemiológicas adequadas.

As capacitações vão acontecer regionalmente de acordo com as 16 regionais da Saúde de Santa Catarina, acompanhando a matriz de avaliação do risco potencial para Covid-19, com participação de representantes da Secretaria de Educação, Defesa Civil, universidades e das instituições que integram o Comitê Estratégico de Retorno às Aulas Presenciais.

As escolas também contarão com um modelo do plano de contingência para aplicação na rede municipal para facilitar a criação dos protocolos do plano de ação, específicos de cada unidade de ensino. De acordo com a secretaria, a elaboração deve ser coletiva, com apoio da comunidade escolar, definindo ainda questões relativas como a organização do comitê escolar e formas de mitigar possíveis riscos. O cronograma das capacitações será disponibilizado para os envolvidos nos próximos dias.