Partido adversário questionou artes exibidas até segunda-feira, 28, em rede social – Foto de arquivo: Reprodução/Facebook

O candidato a prefeito pelo PSL, Samir Ahmad (Samir do Kilojão) foi notificado na segunda-feira, 28, pela Justiça Eleitoral, para remover todas as postagens publicadas em redes sociais que tragam o conteúdo referente ao nome da coligação Laguna pode mais publicadas antes do começo do período de campanha eleitoral. A decisão da juíza Elaine Cristina atende a um pedido feito no último dia 23 pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Na petição, o MDB argumentou que “tal conduta caracteriza propaganda extemporânea, uma vez que a parte representada está antecipando sua ‘marca’, causando desequilíbrio no pleito eleitoral”. O nome da coligação foi anunciado de forma oficial em 8 de setembro na convenção do partido, mas as postagens vêm sendo divulgadas antes disso fazendo alusão à coligação na forma de um slogan.

A magistrada concordou com o argumento na decisão. “Desta forma, tendo em vista as extensas postagens realizadas pelo representado através de suas redes sociais, bem como considerando o elevado alcance das mesmas, já que hoje o principal meio de comunicação é a internet, verifico estarem preenchidos os requisitos autorizadores da medida liminar aqui postulada”.

No primeiro dia da campanha, no domingo, a coligação divulgou artes em que a frase de efeito teve a palavra “pode” substituída por “merece”. Ahmad recebeu 24 horas para apagar as publicações sob pena de multa diária por descumprimento, no valor fixado de R$ 500. Na manhã desta segunda-feira, 29, as artes já tinham sido trocadas.

Partido vai trocar nome de coligação

A reportagem entrou em contato com o PSL para obter o contraponto da informação. O presidente do partido, Mário Ricardo Bongiolo, informou que houve um equívoco nos registros da coligação, o que só teria sido percebido devido à notificação da Justiça. O PSL vai buscar alterar o nome da aliança ao longo da semana.

“O slogan da pré-campanha precisaria ser trocado e trocamos slogan de ‘Laguna pode mais’ para ‘Laguna merece mais’ e isso foi feito como prova os materiais.  Porém no nome da coligação houve um equívoco. Era para substituir o ‘pode’ pelo ‘merece’ e esse detalhe foi esquecido. Com a decisão judicial o equívoco foi percebido e está sendo retificado”, disse Bongiolo.