Divulgação

Os italianos de Cesenático realizaram uma grande festa neste domingo, 2, para marcar o dia em que se comemora a passagem do casal Giuseppe e Anita Garibaldi pela região, ocorrida em agosto de 1849 (saiba mais abaixo). A celebração é promovida anualmente no município, que é um dos mais incentivadores da memória garibaldina.

A celebração é uma das primeiras que ocorre na Itália após as restrições causadas pelo coronavírus e contou com a participação das autoridades das cidades da região da Emilia-Romana, e que estão conveniadas com municípios catarinenses para prepararem eventos comemorativos ao bicentenário de nascimento da heroína catarinense.

O historiador Andrea Antonioli, diretor do Museu e Biblioteca Renzi, que lidera as comemorações do bicentenário em solo europeu, mencionou em seu discurso ter recebido cartas com cumprimentos e agradecimentos pelas homenagens à filha ilustre de Laguna, que é considerada a mãe da pátria italiana. As correspondências foram enviadas pelo Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita) e pelo prefeito de Laguna Mauro Candemil (MDB).

Os italianos plantaram na principal praça da cidade de Cesenático, um exemplar do híbrido Rosa de Anita, criada pelo botânico italiano Giulio Pantoli para representar a personalidade da heroína em forma de flor. A rosa é o símbolo oficial do bicentenário.

“Mesmo distantes, celebramos a festa realizada pelos nossos irmãos garibaldinos da Itália, o evento deste domingo deixa claro que a memória de Anita deve ser cada vez mais reverenciada não só lá, mas também aqui”, diz o diretor do CulturAnita, Adílcio Cadorin. No próximo dia 30 de agosto, faltará exatamente 365 dias para as celebrações que devem ocorrer em 2021, unindo Brasil, Itália, San Marino e Uruguai.

Sobre o dia de Garibaldi

O Dia de Garibaldi (Garibaldi day, em inglês) é uma cerimônia anual realizada na Itália, que lembra a passagem do casal Anita e Giuseppe pelo porto da cidade de Cesenático, ocorrida em 2 de agosto de 1849. Dois dias depois, a heroína viria a falecer. Antes, ela ditou uma última carta para o padre italiano Ugo Bassi, que foi detido e fuzilado em 8 de agosto do mesmo ano.

A partir do porto de Cesenático, a frota garibaldina partiu pelo mar e foi bombardeada pela esquadra do Império Austríaco, com muitas baixas para a legião de revolucionários composta por cerca de 160 homens. Garibaldi e Anita escaparam para a região, hoje conhecida como ‘Porto Garibaldi’.

Rosa de Anita

A Rosa de Anita é o híbrido-símbolo das comemorações foi criado pelo botânico italiano Giulio Pantoli (morto em 2018), que se inspirou na figura de Anita Garibaldi para desenvolver a rosa. Na Itália, os direitos de reprodução da rosa estão com o Museu Renzi, que franqueou autorização para que o CulturAnita pudesse clonar e distribuir o híbrido no Brasil e na América do Sul.

Os brotos foram trazidos no final de 2018 para o Brasil e adaptadas à realidade climática do país pelo botânico Leonardo Borges, de Laguna. Em agosto de 2019, foram iniciados os plantios das primeiras rosas geradas em Imbituba, Laguna e Tubarão – já florescidas.

Divulgação